Policial inglês é banido por roubar 7 cafés da manhã da cantina na 1ª semana de trabalho

Louise Queiroga

Um policial britânico foi banido da corporação por ter se servido de sete cafés da manhã completos ao longo de sua primeira semana de trabalho na cantina de uma unidade na região do Vale do Tâmisa. O delito do jovem Jamie Larman neste caso foi não ter pago as refeições. Segundo a polícia, ele tinha plena consciência de que os alimentos não eram gratuitos.

De acordo com o regimento interno, oficiais e funcionários das instalações do condado de Berkshire podem permanecer no local se morarem a mais de 32 quilômetros da instalação. Como incentivo adicional, eles também têm direito a refeições de cortesia da cantina no local. No entanto, qualquer pessoa que habite dentro do raio de 32 quilômetros fica isenta disso e, ao usar a cantina, deve pagar por suas refeições.

Jamie foi ouvido em audiência de conduta imprópria, na qual ele se defendeu, alegando que pegou o café da manhã para tentar "criar harmonia" com seus colegas novatos, informou o jornal "The Irish Post" nesta quarta-feira.

Esse argumento, porém, foi considerado "absurdo" pelo chefe da polícia do Vale do Tâmisa, John Campbell. O oficial relembrou ainda um incidente semelhante envolvendo o rapaz em 2019. Consta num registro que o jovem recebeu uma advertência após ser flagrado roubando comida antes do treinamento para se tornar oficial de apoio à comunidade policial. Apesar desse episódio, ele se formou e começou a trabalhar em janeiro, mas a carreira dele na polícia durou apenas duas semanas.

"Eu considero isso uma bobagem. Ele poderia ter cumprido esse objetivo pagando sua própria comida e não roubando da polícia. E mais, há evidências de que ele se comportou de maneira semelhante no treinamento. Ele estava plenamente ciente das regras da corporação e, portanto, não tinha direito a comida grátis. Não foi um 'erro', como ele sugere — foi voluntário e desonesto. Ele não tem lugar na polícia", criticou Campbell na audiência.