Policial mata segurança negro que deteve atirador branco em bar nos EUA

WGN-TV/Reprodução

Um segurança negro de 26 anos foi morto por um policial enquanto imobilizava um atirador branco em Chicago (EUA). Segundo testemunhas, Jaemel Roberson deteve um homem que alvejou três pessoas no bar onde trabalhava quando a polícia chegou e, ao vê-lo com a arma, abriu fogo.

“Todos gritavam que ele era um segurança, mas atiraram mesmo com ele usando um uniforme de segurança”, contou Adam Harris, testemunha do tiroteio, à emissora WGN-TV. Ainda de acordo com ele, Roberson segurava o homem no chão com a arma apontada para as suas costas quando a polícia chegou.

A delegada responsável pelo caso, Sophia Ansaria, informou que Roberson tinha porte legal de arma de fogo.

O chefe da polícia de Chicago, Daniel Delaney, disse em nota que o policial que atirou no segurança relatou ter abatido “um elemento com uma arma” que, mais tarde, foi identificado como Roberson. O homem, que era negro, foi o único morto na ocasião. Os demais, incluindo o atirador, sofreram ferimentos leves.

Marvin Hunter, pastor de Roberson, definiu o rapaz como um “homem excepcional”.Segundo ele, o segurança trabalhava para juntar dinheiro para comprar um apartamento, após o nascimento do filho.

“Este seria o primeiro natal do meu filho com o pai, mas agora ele vai perder tudo”, desabafou Avontea Boose, mãe do filho dele.

Alegando que a morte do homem foi “exclusivamente por ele ser negro”, a família pediu uma indenização de US$ 1 milhão, cerca de R$ 3,9 milhões ao Estado.