Policial do Michigan é acusado de homicídio por morte de homem negro

Um policial americano que atirou contra um homem negro após uma luta corporal em um controle de trânsito no Michigan foi acusado de homicídio, disse nesta quinta-feira (9) a procuradoria deste estado do norte dos Estados Unidos.

Christopher Schurr, um policial branco da cidade de Grand Rapids, enfrenta uma única acusação de homicídio em segundo grau, quando o crime não é premeditado, e tem como pena máxima a prisão perpétua, segundo Christopher Becker, promotor do condado de Kent.

"Temos o dever de fazer com que as leis sejam cumpridas, seja pela polícia ou pelo público", disse Becker.

Patrick Lyoya, de 26 anos, morreu durante uma fiscalização de trânsito em Grand Rapids no dia 4 de abril.

A polícia divulgou quatro vídeos do incidente, um deles mostrando Schurr sobre Lyoya em luta corporal, e aparentemente atirando contra a cabeça da vítima na sequência.

O ocorrido gerou protestos em Grand Rapids, uma cidade com cerca de 200.000 habitantes, e pedidos para que o oficial envolvido fosse levado à Justiça.

O famoso advogado especializado em direitos civis, Ben Crump, comemorou a decisão de acusar Schurr de homicídio em segundo grau.

"Embora o caminho rumo à justiça para Patrick e sua família tenha acabado de começar, esta decisão é um passo crucial na direção correta", disse Crump.

"O oficial Schurr deve prestar contas por sua decisão de perseguir Patrick, que estava desarmado, para depois atirar contra a sua nuca e matá-lo por nada, apenas por uma fiscalização de trânsito", acrescentou.

O assassinato de Lyoya foi o último de uma sequência de episódios recentes envolvendo a morte de negros pelas mãos de policiais nos Estados Unidos, que provocaram protestos generalizados contra o racismo e pedidos de reformas.

O caso de George Floyd, que morreu asfixiado depois que um policial branco ajoelhou em seu pescoço durante uma abordagem em Minneapolis em maio de 2020, desencadeou uma onda histórica de protestos contra o racismo nos EUA e no resto do mundo.

O policial envolvido na morte de Floyd, Derek Chauvin, foi condenado a 22 anos e meio de prisão em 2021.

cl/st/ad/ag/rpr/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos