Policial militar é morto em Nilópolis durante patrulhamento

O cabo da PM Paulo Zélio Fernandes Taveira, de 31 anos, morreu na noite de quinta-feira após ser atingido durante patrulhamento no bairro de Nova Cidade, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. O agente chegou a ser socorrido no Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiu aos ferimentos.

Informações do Disque-Denúncia (2253-1177) dão conta de que o agente, lotado no 20º BPM (Mesquita), foi alvejado por disparos de arma de fogo por volta das 23h, quando a viatura na qual estava realizava um patrulhamento de rotina na Rua Benjamin Constant, e foi atacada por traficantes que aproveitaram o momento em que a viatura fazia manobra no final da rua.

Segundo os profissionais de saúde que atenderam o policial no hospital, ele foi atingido com uma perfuração no peito, lado direito, transversal, sem orifício de saída, vindo a parar no coração.

Com a morte do policial, sobe para 33 o número de agentes de segurança mortos em ações violentas no Rio de Janeiro. Foram 20 agentes da Polícia Militar, cinco da Polícia Civil, quatro militares da Marinha, um policial penal, um agente do Degase, um guarda municipal e um militar da Aeronáutica.

De acordo com a corporação, Paulo Zélio ingressou na Polícia Militar em 2014 e deixou um filho. Nesta sexta-feira, o Portal dos Procurados do Disque-Denúncia pediu informações sobre os envolvidos na morte do cabo. O portal divulgou, ainda, um cartaz para ajudar nas investigações da DHBF.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos