Policial tailandês corrupto 'Joe Ferrari' é condenado à prisão perpétua

Um policial tailandês apelidado "Joe Ferrari" por sua paixão pelos veículos de luxo foi condenado à prisão perpétua nesta quarta-feira (8) por torturar um suspeito até a morte durante um interrogatório em um caso de tráfico de drogas.

Um tribunal de Bangcoc declarou Thitisan Utthanaphon culpado do assassinato por tortura.

O caso incendiou as redes sociais e jogou luz sobre a corrupção endêmica da polícia do reino.

Imagens publicadas na Internet mostravam Thitisan Utthanaphon e outros seis policiais cobrindo a cabeça de um suspeito de 24 anos com sete sacolas de plástico enquanto o interrogavam e tentavam roubar-lhe 60.000 dólares. O suspeito morreu.

O juiz do tribunal responsável pelos casos de corrupção e má conduta condenou o policial de 41 anos à morte, mas imediatamente a comutou para prisão perpétua porque o acusado tentou reanimar sua vítima e pagou suas despesas de funeral.

"Os sete policiais devem aprender a lição e pagar por seu crime", disse Jakkrit Klandi, pai da vítima.

Cinco dos outros seis policias envolvidos no caso foram declarados culpados de assassinato e também condenados à prisão perpétua. Um sétimo foi condenado a cinco anos e quatro meses de prisão.

Os policiais têm um mês para recorrer da sentença.

ton-rbu/pdw/del/lch/meb/es/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos