Políticos repercutem morte de Erasmo Carlos: 'Nos ensinou sobre a vida'

Erasmo Carlos (Foto: Eric Jamison/Invision/AP)
Erasmo Carlos (Foto: Eric Jamison/Invision/AP)

O cantor e compositor Erasmo Carlos morreu aos 81 anos nesta terça-feira (22). Ele havia sido internado em um hospital no Rio de Janeiro.

No início do mês, o artista deixou o hospital após ficar mais de duas semanas internado para tratar uma síndrome edemigência, informou o portal O Globo.

Além de famosos, políticos usaram as redes sociais para homenagear um dos maiores nomes da música brasileira.

No Twitter, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que o artista é "autor de muitas das canções que mais emocionaram brasileiros nas últimas décadas", e disse que foi um cantor de "extremo talento".

O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB) disse que Erasmo Carlos "embalou as vidas de gerações de brasileiros".

A senadora Simone Tebet (MDB), que ficou em terceiro lugar entre os candidatos à Presidência, falou sobre o legado do artista, e disse que as músicas dele marcaram a sua e diversas gerações.

O ex-candidato ao governo do Rio de Janeiro Marcelo Freixo (PSB) classificou Erasmo como "um dos gigantes da música brasileira".

Quarto colocado na disputa à Presidência, Ciro Gomes (PDT) lamentou a morte do cantor e afirmou que sempre foi muito fã do artista.

O senador Ranfolfe Rodrigues (Rede-AP) declarou que a morte do compositor "afeta toda uma geração".

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) escreveu que a "cultura brasileira perde um grande cantor e compositor".

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), afirmou que o talento e a arte de Erasmo "ficam marcados eternamente".