Pompeo busca tranquilizar a Turquia após imposição de sanções impostas

·1 minuto de leitura
O secretário de Estado americano, Mike Pompeo

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, Mike Pompeo, garantiu a seu homólogo turco, Mevlut Cavusoglu, que as sanções impostas a Ancara na segunda-feira pela aquisição do sistema de defesa aérea S-400 russo não têm o objetivo de enfraquecer a defesa turca.

Em uma conversa esta semana com o ministro das Relações Exteriores da Turquia, Pompeo "enfatizou que o objetivo das sanções é impedir que a Rússia receba receita substancial, acesso e influência" aos sistemas de defesa, disse o porta-voz turco Cale Brown nesta quinta-feira.

As sanções "não têm a intenção de enfraquecer as capacidades militares ou o nível de prontidão de combate da Turquia ou de outros aliados ou parceiros dos Estados Unidos", acrescentou.

Pompeo também "exortou a Turquia a resolver o problema do S-400 de maneira consistente com décadas de cooperação bilateral de defesa e retornar às suas obrigações como membro da Otan de comprar armamento" compatível com o da aliança atlântica.

Os Estados Unidos anunciaram na segunda-feira sanções contra a Turquia por sua aquisição de misseis antiaéreos russos S-400, proibindo a concessão de novas licenças de exportação de armas à agência governamental turca encarregada das compras de armas, a SSB. A decisão também incluiu sanções contra o presidente do SSB, Ismail Demir, bem como contra outros dirigentes desta agência.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, denunciou as sanções na quarta-feira.

"Que tipo de aliança é essa? Esta decisão é um ataque aberto à nossa soberania", disse indignado. "É um pretexto. O verdadeiro objetivo é deter o ímpeto de nosso país na indústria de defesa e nos tornar completamente dependentes novamente".

sl/vgr/dg/ll/am