Pompeo elogia 'liberdade de religião' no Egito

O secretário americano de Estado, Mike Pompeo, visita a Catedral da Natividade, na nova capital administrativa, nas proximidades do Cairo.

O secretário americano de Estado, Mike Pompeo, elogiou a "liberdade de religião" em vigor no Egito, ao visitar a catedral e a mesquita da nova capital administrativa, nas proximidades do Cairo.

"O Senhor está claramente trabalhando aqui", declarou em cada um dos prédios religiosos.

O secretário de Estado, que em um discurso na capital egípcia se descreveu como um "cristão evangélico", visitou primeiro a gigantesca Catedral da Natividade, na nova capital administrativa egípcia, a 45 km do Cairo.

A Catedral foi inaugurada no domingo pelo presidente egípcio, Abdel Fatah al Sissi, por ocasião do Natal copta.

O presidente americano, Donald Trump, disse no Twitter que está "contente" de ver o Egito "abrir a maior catedral do Oriente Próximo".

"É um país especial" e "um grande símbolo de esperança [...] para o Cairo, o Egito e todo o Oriente Médio", declarou nesta quinta-feira Mike Pompeo.

Os governos "têm a obrigação de tentar que cada indivíduo possa ter a escolha de credo".

Acompanhado de Susan, sua mulher, Pompeo visitou depois a mesquita de Al Fattah al Alim.

"O presidente Al Sissi permitiu este tipo de liberdade e é incrível estar nesta mesquita, aqui no Cairo [...], no coração do Oriente Médio, onde esta liberdade religiosa é possível".

A administração Trump transformou a defesa da liberdade de religião no mundo em uma prioridade de sua política externa.

A nova capital administrativa egípcia, anunciada em 2015, segue em construção. Sua Catedral da Natividade é considerada uma das maiores do Oriente Próximo.