Pompeo mantém esperanças em acordo nuclear com Coreia do Norte

Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, durante coletiva de imprensa

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, disse nesta quarta-feira que continua esperançoso de chegar a um acordo nuclear com a Coreia do Norte, apesar das especulações sobre a saúde do líder Kim Jong Un e as negociações estagnadas.

Pompeo, cuja gestão diplomática abriu o caminho para a cúpula sem precedentes entre Kim e o presidente Donald Trump em Cingapura, também reiterou que uma mudança de liderança na Coreia do Norte não afetaria as políticas dos EUA.

"Independentemente do que acontece dentro da Coreia do Norte em relação à sua liderança, nossa missão permanece a mesma: trabalhar no compromisso que Kim assumiu com o presidente Trump em Cingapura e que é a desnuclearização verificável da Coreia do Norte", disse Pompeo a jornalistas.

"Continuamos esperançosos de que encontraremos uma maneira de negociar uma solução e obter um resultado que seja bom para os americanos, bom para os norte-coreanos e para o mundo inteiro", afirmou.

Antes, na Fox News, Pompeo havia expressado preocupação de que a Coreia do Norte fosse afetada pela pandemia de coronavírus ou pela fome generalizada.

O Estado totalitário, que se orgulha de sua autossuficiência, foi atingido nos anos 90 por uma crise que levou à fome, matando centenas de milhares de pessoas.

Pompeo, que viajou para Pyongyang quatro vezes em 2018, evitou especular sobre a saúde de Kim, mas esclareceu que conhece grande parte da liderança norte-coreana, incluindo sua irmã Kim Yo Jong, considerado um ator importante em uma eventual sucessão.

Um alto funcionário sul-coreano, que procura se reconciliar com seu vizinho, disse que Kim está "vivo e bem". E Trump apenas disse na segunda-feira que tem "uma impressão muito boa" sobre o estado do líder norte-coreano.