Pontos alterados na reforma da Previdência têm de ser compensados, diz Meirelles

Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. 29/03/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou nesta terça-feira que os pontos na reforma da Previdência que forem alterados terão de ser compensados.

"Tudo o que se cede um ponto, tem que se compensar em outro. Esse é o problema", afirmou ele a jornalistas após participar de reunião com o presidente Michel Temer e representantes da base aliada do governo para tratar sobre a reforma.

Meirelles disse ainda que o impacto da redução de idade mínima de mulheres seria "bastante" e que esse ponto ainda não estava sendo discutido.

"Estamos trabalhando para fazer a reforma que tenha condição de assegurar o equilíbrio fiscal, de não aumentar as despesas da Previdência como proporção do PIB. Senão, não conseguimos equilibrar as contas", acrescentou.

Mais cedo, o relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Maia (PPS-BA), afirmou que não haverá mais idade mínima para as pessoas entrarem nas regras de transição em busca da aposentadoria, que haverá redução do pedágio, ao mesmo tempo em que haverá idade mínima para se aposentar quem optar por esse caminho.

Pela proposta do governo, mulheres acima de 45 anos e homens acima de 50 anos entrariam nas regras de transição tendo de pagar um pedágio de 50 por cento sobre o tempo restante de contribuição.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)