População enfrenta fila por carne estragada na Venezuela

AP Foto/Fernando Llano

Em meio à crise que os faz migrar para outros países, os venezuelanos que permaneceram no país de origem enfrentam filas para comprar carne estragada na cidade de Maracaibo, conhecida por ter sido muito rica pela ampla reserva de petróleo na região. Segundo a Associated Press, o alimento apodreceu em função da falta de energia constante na área há mais de nove meses, que não permite que os alimentos sejam devidamente refrigerados.

Mesmo doentes após comer a carne apodrecida, os habitantes do local ainda mantém a comida na dieta por ser a única maneira encontrada de ingerir proteína no país a preços baixos — em crise econômica, Venezuela viu taxa de inflação aumentar 82.766% nos últimos doze meses.

Saiba mais:
Inflação anual na Venezuela chega a 82.766%, segundo Parlamento
Venezuela pede que Brasil proteja os seus cidadãos

Sem serviços básicos como água encanada e luz, a cidade de Maracaibo, com 1,5 milhão de habitantes, enfrenta apagões constantes. À agência, o açougueiro Johel Prieto admitiu ter misturado parte de carne fresca na carne apodrecida para mascarar a deteriorização.

“É claro que eles comem a carne – graças a (Nicolás) Maduro”, relatou criticando o governo do país. “A comida dos pobres é comida estragada.”