Por causa da pandemia de Covid-19, Ponte Rio-Niterói terá pagamento por aproximação nas cabines

RIO — Para evitar o manuseio de dinheiro e a exposição à possibilidade de contaminação pelo novo coronavírus, a Ecoponte, concessionária que administra a Ponte Rio-Niterói, instalou nas 14 cabines manuais, incluindo as destinadas a motocicletas, máquinas para pagamento por aproximação com a tecnologia NFC - near field communication (comunicação de campo próximo, numa tradução livre). Na prática, basta o usuário aproximar do leitor um dispositivo com o sensor, que pode ser um cartão na função débito ou até mesmo uma pulseira. Um dos principais benefícios da nova tecnologia é a redução de circulação de dinheiro em espécie nas cabines.

"Em meio à pandemia de coronavírus, o novo meio de pagamento é também uma forma segura de diminuir os riscos de transmissão da covid-19, já que não há contato físico entre o operador da cabine e o motorista", diz a concessionária.

Segundo a Ecoponte, o pagamento com o NFC não gera custos aos usuários.

"A tecnologia é usada por diversas instituições financeiras, bancos digitais e bandeiras de cartões como Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander, Nubank, Mastercard, Visa, Elo, Amex e Hipercard", assegura a concessionária.

Diariamente, aproximadamente 70 mil veículos cruzam a Ponte Rio-Niterói.