Por ciúmes, marido agride mulher com socos e cabeçadas em SP: ‘Podia ter me matado’

·2 min de leitura
Agressões foram filmadas pela câmera de segurança - Foto: Reprodução
Agressões foram filmadas pela câmera de segurança - Foto: Reprodução
  • Mulher foi agredida com tapas, socos e cabeçadas pelo próprio marido em São Paulo

  • Ela explicou que estava na casa de amigas e o rapaz ficou enciumado

  • Um outro homem apareceu e impediu que as agressões seguissem

Uma mulher foi agredida pelo próprio marido em frente a um prédio residencial na Zona Sul de São Paulo. O caso aconteceu em 14 de novembro, mas foi revelado nos últimos dias, após a divulgação de imagens de uma câmera de segurança.

O vídeo mostra o homem de 43 anos esperando a esposa, de 44, do lado de fora do condomínio no bairro do Ipiranga. Após ela aparecer, ele começa a xingá-la, gesticulando, bastante irritado.

O rapaz, então, inicia a agressão com tapas no peito e no rosto da mulher, que parece buscar refúgio dentro do prédio. Ele impede e segue com os tapas, que vão se tornando cada vez mais forte.

O marido segura a esposa e, de repente, acerta duas cabeçadas em seu rosto. Ela tenta se segurar no rapaz, mas é atingida por novos tapas e um soco, que a derruba no chão.

As imagens mostram que o agressor só interrompe o ataque após o aparecimento de um outro homem, que pede para que ele se afaste. Minutos depois, porém, retorna à frente do prédio e passa a xingar a esposa.

Bêbado e com ciúmes

Segundo a mulher, que não teve a identidade revelada, o marido apareceu de surpresa no prédio onde ela participava de uma confraternização com as amigas. Ele alegava que a esposa não havia o informado sobre seu destino e estava, na verdade, o traindo.

“Eu acabei descendo para ver o que ele queria. Ele estava bêbado e ficou agressivo. Na porta, quando me viu, começou a me agredir com palavras de baixo calão, me chamando de ‘vagabunda’, de ‘vadia’, que eu estava traindo ele. Não era verdade aquilo. Até porque minhas amigas estavam juntas comigo", relatou a vítima em entrevista ao G1.

A mulher contou que o marido não quis ouvir suas explicações e que temeu pela vida durante o ataque. Ela revelou, também, que o agressor danificou seu carro e considera que a aparição de um outro rapaz foi fundamental para que sobrevivesse.

"Graças a Deus esse homem apareceu e viu que eu estava sendo agredida. Aí desceu, se identificou como um policial, só que ele não estava em serviço naquele dia e pediu para ele se afastar de mim", lembrou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos