Por defesa da classe trabalhadora, MST vence prêmio internacional da ONU

·1 min de leitura
MST existe desde 1984 e defende pautas como a reforma agrária (Foto: Juliana Adriano/MST/Divulgação)
MST existe desde 1984 e defende pautas como a reforma agrária (Foto: Juliana Adriano/MST/Divulgação)
  • MST vence prêmio da ONU pela defesa da classe trabalhadora

  • Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra foi um dos vencedores do prêmio Esther Busser Memorial Prize

  • Durante a pandemia, MST doou mais de 5 mil toneladas de alimentos

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) foi escolhido como um dos cinco premiados pela Organização Internacional do Trabalho. O MST recebeu o prêmio Esther Busser Memorial Prize.

O MST foi reconhecido por ser uma organização política que atua na garantia de condições dignas de vida e de trabalho para o povo brasileiros. O grupo trabalha principalmente pela reforma agrária e também pela manutenção da democracia no Brasil. O movimento existe desde 1984.

Durante a pandemia de covid-19, o MST já doou mais de 5 mil toneladas de alimentos e distribuiu cerca de um milhão de marmitas.

A instituição vai receber o prêmio de forma virtual no próximo dia 22, às 8h. O nome da premiação faz referência à ativista pelos direitos humanos, Esther Busser. Ela também foi pesquisadora e diretora adjunta da Confederação Sindical Internacional por uma década.

A Organização Internacional do Trabalho, responsável pelo prêmio, é uma agência multilateral da Organização das Nações Unidas (ONU). O órgão tem como objetivo trabalhar com a regulação do trabalho e com o cumprimento das normas internacionais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos