Por falta de espaço na folha, Barcelona não consegue inscrever médico do time principal

·1 min de leitura

As regras do fair play financeiro da La Liga levaram o Barcelona a uma situação inusitada. Além de ainda não ter uma previsão de estreia para Ferran Torres, contratado junto ao Manchester City, o clube não pode contar com outro reforço. Só que não se trata de nenhum jogador, mas sim do médico Ricard Pruna, responsável pela equipe principal.

O profissional chegou ao clube em meados de dezembro, mas ainda não pôde acompanhar nenhuma partida do banco, ao lado da comissão técnica. Para não ficar sem um médico durante os jogos, a soluçao encontrada pela diretoria catalã foi promover o médico da equipe B, Xavier Valle.

A contratação de Pruna contou com a participação de Xavi. Ele é considerado homem de confiança do atual treinador. Segundo o diário espanhol AS, a previsão é de que ele possa estrear em jogos no dia 12, durante o duelo contra o Real Madrid, pela Supercopa espanhola.

Para isso, a diretoria precisa abrir espaço na folha de pagamentos. Isso porque, para evitar que os clubes se endividem ainda mais, a La Liga estipulou um teto para cada um deles que é calculado de acordo com as receitas declaradas. Qualquer contratação que faça os gastos salariais ultrapassarem este limite não pode ser inscrita até que a exigência seja atendida. É o que ocorre com Torres.

O Barcelona espera, com a janela de transferências de inverno, se desfazer de alguns atletas. Entre eles, o brasileiro Philippe Coutinho. Assim, abriria espaço na folha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos