Por foto com Doria, defesa de Lula questiona imparcialidade de Moro

Divulgação/Assessoria João Doria

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a questionar a imparcialidade do juiz Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato no Paraná.

Em petição, os advogados do petista citaram a participação do juiz em um evento organizado pelo grupo Lide, da família do ex-prefeito e candidato ao governo do estado de São Paulo João Doria (PSDB), em Nova York, para pedir a suspeição do juiz em casos que envolvam Lula.

Moro e a mulher, a advogada Rosângela Wolff Moro, participaram de um jantar de gala oferecido em sua homenagem pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos na semana passada.

No evento, o magistrado posou para uma foto ao lado do tucano e a mulher dele, Bia. Questionado sobre a polêmica causada pelo clique, disse que a imagem não significava nada, era uma “bobagem”.

Para a defesa de Lula, no entanto, a participação de Moro no evento reforça um posicionamento político do juiz “antagônico” ao líder petista. Para os advogados isso é, “incompatível com a imparcialidade e a independência que se esperam de quem deverá julgar esta causa criminal”.

A petição ainda afirma que a Petrobras, que figura como assistente de acusação em alguns processos, apoiou o evento de Nova York.

Essa não é a primeira vez que os advogados de Lula pedem a suspeição de Moro. Até agora todos os pedidos foram negados pelo próprio juiz e pela segunda instância da Lava Jato, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).