Por medida de segurança, STF deverá suspender funcionamento na véspera do 7 de setembro

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Diante da realização de manifestações de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro convocadas para o dia 7 de setembro, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu fechar suas instalações na véspera do feriado, dia 6 de setembro. A medida foi adotada diante da preocupação de que os manifestantes causem danos ao edifício-sede da Corte.

O fechamento do prédio do Supremo será disciplinado em portaria determinado ponto facultativo que deve ser publicada ainda nesta terça-feira, segundo interlocutores da Corte ouvidos pelo GLOBO.

Em comunicado encaminhado à imprensa, o STF informou que o ponto facultativo será implementado para "facilitar os preparativos de segurança". Ainda segundo o documento, o Supremo "está em interlocução com outras instituições, como Câmara e Senado, e contará com o apoio das forças de Segurança Pública do GDF para o reforço na segurança do prédio".

"Como em todas as manifestações realizadas na Praça dos Três Poderes e adjacências do tribunal, a Secretaria de Segurança tem adotado - para as manifestações já anunciadas de 7 de Setembro - medidas preventivas para a mitigação de riscos, com o dimensionamento de recursos humanos e materiais, entre outros", disse o tribunal.

Não é a apenas o STF que está preocupado com a segurança em razão das manifestações de 7 de setembro. Conforme revelou a coluna de Lauro Jardim nesta terça-feira, os senadores independentes e de oposição devem pedir o cancelamento dos depoimentos da CPI da Covid na semana que vem. Eles estimam que a mobilização bolsonarista na terça-feira vá acirrar os ânimos de militantes em deslocamento para Brasília desde o próximo fim de semana pelos aeroportos do país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos