Por mensagem, artista convidou Zeca Baleiro e Magal para seu primeiro álbum. E eles aceitaram

Gisele Araújo
·3 minuto de leitura

RIO — Imagine lançar seu primeiro trabalho solo já com participações de artistas de peso? Parece um sonho, mas foi o que aconteceu com o cantor e morador da Barra da Tijuca Daniel Massa. Ele lança este mês o álbum “¡Arriba!”, com colaborações dos cantores Zeca Baleiro, Sidney Magal e Anderson Leonardo (do grupo Molejo) e do ator Emílio Dantas.

Tirando o protagonista da série “Todas as mulheres do mundo”, da Globoplay, que já conhecia, Massa atraiu os outros participantes enviando mensagens por e-mail e Instagram.

—Peguei os contatos profissionais disponíveis no site de cada artista. O Zeca Baleiro me respondeu pessoalmente. Do Sidney, tive um feedback pelo filho dele, que adorou a música. Já o Anderson me respondeu pela mensagem direta do Instagram. Foi uma felicidade muito grande, pois estamos em um momento delicado com a pandemia, mas eu acredito que temos que correr atrás do que queremos, com muita perseverança — diz o cantor e também jornalista.

O nome do álbum se refere justamente a este espírito:

—Arriba, tanto em espanhol, como no Nordeste, significa “acima”, “adiante”, o que representa bastante o intuito do trabalho — conta. — Não podemos ficar parados esperando que as coisas cheguem.

Na mensagem enviada aos artistas, ele falou do conceito do álbum, no qual a música latina é estrela, e enviou uma gravação com o instrumental e a voz de uma canção. A escolha dos músicos foi norteada pela referência sonora escolhida para o trabalho e por lembranças de sua infância.

—Eu tive uma banda de rock há dois anos, mas sentia falta de ritmos latinos e brasileiros, que me influenciam desde sempre. Lembro das festas com trilha sonora de Sidney Magal e os momentos em família, quando as marchinhas estavam sempre presentes, principalmente pelo fato de o meu pai ser primo da Carmen Miranda, que também tinha esse empenho em difundir sonoridades latinas.

Massa, de 35 anos, começou a tocar violão aos 12, influenciado pelo pai. Além de composições autorais, “¡Arriba!” traz duas regravações: uma delas é uma versão de “Ha vuelto el matador”, do argentino Cacho Castaña, que em português foi batizada de “O meu amor voltou! (El matador)” e contou com a participação de seu tio, o também cantor Luiz Cesar.

Um dos singles de “¡Arriba!” já foi lançado: a autoral “La muchacha de Madrid”, com participação de Zeca Baleiro, disponível em plataformas de streaming. O clipe da música, gravado no Rio de Janeiro e em São Paulo, pode ser visto no canal do cantor no YouTube. O próximo vídeo será com Sidney Magal e trará influências da música mexicana.

—Tenho muita admiração pela forma como Zeca compõe, por sua escrita aguçada e diferente. A inspiração para esse single veio de uma viagem para a capital espanhola com minha mulher, Aline Diniz, que também canta e participa do clipe. É uma crônica do que a gente viveu lá — relata.

O processo de composição e gravação do álbum durou cerca de um ano. Cada artista gravou a voz em seu próprio estúdio e enviou a Massa, que contou também com conselhos de seus ídolos.

—Eles participaram de verdade, opinaram muitas vezes, seja por e-mail ou WhatsApp. Deram dicas sobre a questão do tom, da estrutura da música e do conceito dos clipes. Eu fiquei com os ouvidos bem abertos, pois quem é artista gosta de participar dos processos de criação.

Às vésperas do lançamento do primeiro solo, Massa já planeja um outro trabalho, voltado para o samba. Nesse, terá como convidado o multiartista Rildo da Hora, responsável por trabalhos de sucesso com Beth Carvalho e quatro vezes vencedor do Grammy Latino com Zeca Pagodinho.

*Estagiária, com supervisão de Lilian Fernandes

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)