Por onde andam as subcelebridades bombadas em 2010?

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Ângela Bismarchi, Geisy Arruda e Tessália marcaram o início da década
Ângela Bismarchi, Geisy Arruda e Tessália marcaram o início da década passada

A década passada foi agitada no mundo das celebridades. Se hoje a pessoa anônima precisa viralizar algum conteúdo em uma rede social para ficar famosa, as subcelebridades pré-instagram precisavam ser criativas e se virar nos 30 para chamar a atenção da mídia.

De jovem hostilizada por usar roupa curta a modelo querendo implantar o terceiro seio para chamar a atenção, mais de uma década depois, como andam essas famosas? Descubra!

Jéssica Lopes

Quem não se lembra da icônica Peladona de Congonhas, adjetivo artístico da modelo Jéssica Lopes. Aspirante a celebridade, ela supostamente chamou um fotógrafo e criou um “flagra”, enquanto se trocava no estacionamento do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, em 2012. A ideia era chamar a atenção dos sites de celebridades da época. Apesar de ter conseguido a fama instantaneamente, ela nega que as fotos foram combinadas.

Após o episódio, Jéssica virou figurinha carimbada em eventos, participou do concurso Miss Bumbum e chegou a posar nua. Atualmente, está longe dos holofotes e se mudou para a Inglaterra, onde se casou em 2020.

Jessica Lopes e o marido. Ela se mudou para a Europa e se afastou da mídia
Jessica Lopes e o marido. Ela se mudou para a Europa e se afastou da mídia

Geisy Arruda

Geisy Arruda era só uma estudante de turismo de uma universidade do ABC Paulista, quando passou por um dos episódios mais absurdos de machismo da história do país. A universitária acabou sendo hostilizada por conta de um vestido rosa curto, que tinha escolhido para ir a aula em 3 de março de 2009. Ela foi agredida verbalmente por boa parte dos alunos e acabou sendo expulsa pela instituição de ensino.

Alçada à fama pelo triste episódio, Geisy fez do limão uma limonada rentável. Fez vários procedimentos estéticos, virou celebridade e lançou até a própria biografia. Treze anos depois do episódio, ela continua fazendo sucesso. É influenciadora, com mais de 4 milhões de seguidores só no Instagram, virou escritora de contos eróticos e ganha a vida fazendo presença vip em eventos e publis nas redes sociais. Além disso, ostenta viagens nacionais e internacionais. Chora, Uniban!

Ângela Bismarchi

Musa do Carnaval, rainha das cirurgias plásticas e figurinha carimbada nos programas da RedeTV! da época. Ângela virou personalidade da mídia pelo exagero nos procedimentos estéticos. Ela chegou a colocar fios de ouro em volta dos olhos para parecer japonesa no desfile como rainha de bateria da Porto da Pedra, em 2008.

A famosa foi casada com dois cirurgiões plásticos, ficou viúva de um deles, e chegou a cogitar implantar um terceiro seio para ser a única mulher no mundo com três. Atualmente, Ângela se converteu, se formou em Teologia e usa as redes sociais para mostrar seus momentos na igreja e levar adiante a palavra de Jesus.

Sabrina Boing Boing

Lançada na mídia como cover de Pamela Anderson, na MTV Brasil, Sabrina Almeida fez sua carreira a partir desta imagem. Ela chegou a colocar 3 litros de silicone em cada seio e ficou conhecida como Boing Boing. Personalidade da mídia, estampou ensaios nus e até desfilou no Carnaval pós-operada de uma lipoaspiração. Na época, ela contou que entrou na avenida sangrando e a base de remédios, tudo pela fama.

Em 2017, outra invenção: Sabrina anunciou que faria a despigmentação dos olhos para ficar azul. Mas desistiu da ideia.

Anos depois, um pouco afastada da mídia, a modelo virou tatuadora. "Gosto de fazer reformas e coberturas. Também acho gratificante fazer tattoo para cobrir cicatrizes, estrias, qualquer marca que a pessoa não goste ou que traga qualquer sentimento ruim. A tatuagem está aqui para melhorar nossa autoestima, para registrar na pele nossos gostos, é forma de expressão", disse, recentemente, no Instagram.

Tessália

Uma das primeiras influencers do Twitter, escolhida para o BBB justamente por seu alcance na internet, Tessália experimentou o cancelamento logo que saiu da 10ª edição do programa, em 2010. O motivo: um vídeo em que supostamente ela esquentava o edredom com o então namorado de reality, Michel.

Depois de aproveitar os 15 minutos de fama e posar para a Playboy, na qual foi capa segurando uma mangueira em referência ao vídeo polêmico do confinamento, ela se afastou da mídia. A ex-influencer disse que desenvolveu estresse pós-traumático por conta da situação de machismo e cancelamento que passou. "Feliz que hoje em dia a fluoxetina segura a onda, mas já tive fase de não sair de casa sem rivotril. Aliás, parei de tocar/ ser DJ por causa das crises de pânico, agorafobia, e quem diria: minha PTSD (sigla para estresse pós-traumático) é por causa do BBB", escreveu ela, em um tweet de 2020. Tessália se mudou para os Estados Unidos e compartilha seu dia a dia nas redes sociais.

Cacau Colucci

Lançada a mídia ao também participar da 10ª edição do BBB, Cacau conquistou o público com a sua simpatia e seu quase affair com a participante Angélica Morango, a primeira lésbica assumida do programa. Apesar de nada ter acontecido e Cacau ter namorado Eliéser no confinamento, a troca de carinho entre as participantes por pouco não rendeu uma capa da Playboy com as duas juntas.

Cacau seguiu na carreira artística como musa do Carnaval, fez duas capas da Playboy - sozinha - e muitas presenças VIPs em eventos. Atualmente, ela está casada com o delegado Bruno Lima. Em outubro do ano passado, eles viraram pais de Arthur, o primeiro filho do casal.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos