Por que o Botafogo não irá estrear Honda contra o Flamengo?

Rafael Oliveira
Honda se prepara para estrear contra o Paraná, dia 11

A aguardada estreia de estreia Keisuke Honda não será no clássico de amanhã, contra o Flamengo, no Maracanã. O Botafogo decidiu adiar a primeira partida do japonês, seu principal reforço para a temporada. Com o nome já publicado no Boletim Informativo Diário, da CBF, o meia irá reencontrar a torcida na partida contra o Paraná, na próxima quarta, no Nilton Santos.

A informação foi publicada inicialmente pelo jornal "O Dia". O GLOBO apurou os motivos que levaram à decisão. O primeiro deles é o fato de que a diretoria enxerga na estreia do japonês potencial para lotar as arquibancadas. Maiores indícios disso foram as presenças de cerca de mil alvinegros no aeroporto do Galeão, durante o desembarque, e de 13 mil na apresentação, no dia seguinte, no Nilton Santos.

Conforme determina o regulamento do Estadual, a bilheteria do clássico será dividida (60% para o vencedor e 40% para o perdedor, ou 50% para os dois em caso de empate). Já na Copa do Brasil, caso do duelo da próxima quarta, o mandante fica com a arrecadação.

A bilheteria conta, mas não é o único fator. Como os jogos do Flamengo no Estadual não são televisionados, o Botafogo entende que não aproveitaria todo o potencial de exposição de marca que a estreia de Honda oferece. Além disso, atrapalha na negociação por um patrocinador pontual para a partida, o que não está descartado.

Após a vitória sobre o Boavista, no último domingo, o técnico Paulo Autuori já havia dado pistas de que a definição da estreia do japonês passaria por estes quesitos. O treinador definiu o clássico como "interessante, mas não é nada de extraordinário".

– A minha visão em termos de gestão do futebol é o todo. Não tem uma parte mais importante. Temos que ver a necessidade. Vontade pessoal em trabalho de equipe não existe. Vamos ter uma visão do todo.

Nesta quinta, o Botafogo divulgou uma entrevista com Honda em seu canal oficial de vídeos. O meia reafirmou a ansiedade para estrear.

"Estou ansioso para jogar. Mal posso esperar para jogar. Porque estou aqui, os fãs querem que eu esteja aqui. Então, mal posso esperar. É incrível, estou animado. Sinto que essa atmosfera é realmente incrível. Especialmente quando cheguei no aeroporto, muitos fãs vieram me receber. Fiquei feliz com a recepção que me deram no Brasil. Quero retribuir a eles com algo especial, do fundo do meu coração. Acho que isso significa que tenho que jogar bem, que tenho que me esforçar por eles. Quero muito fazer isso acontecer", disse Honda, que ainda destacou a dificuldade que a falta do idioma impõe no entrosamento com os companheiros.

"Ainda estamos no começo. O time precisa de tempo para se entrosar. Ainda temos que nos entender, especialmente os outros jogadores e eu. Não conseguimos nos comunicar porque a língua é um problema. Eu preciso aprender melhor o português. Quero saber sobre eles".