Por que os telescópios nos mostram sempre o passado?

Telescópios conseguem enxergar longe, mas sempre enxergam o passado
Telescópios conseguem enxergar longe, mas sempre enxergam o passado
  • Distância entre a Terra e essas galáxias faz com que a luz demore a chegar até nós;

  • Passado nos ajuda a compreender a origem e desenvolvimento do Universo;

  • A luz do Sol, que parece tão instantânea, demora 8 minutos para chegar à Terra.

Um dos feitos mais impressionantes do novo telescópio espacial da Nasa, o James Webb, é a capacidade de enxergar os primórdios da galáxia. Nesta semana mesmo foi revelada a imagem da galáxia mais antiga já vista, capturada pelas lentes infravermelhas do Webb, que acredita-se ter se formado há cerca de 300 milhões de anos após o Big Bang.

Mas como é possível enxergar o passado, no presente?

Acontece que a luz, quando pensada nos termos da magnitude especial, se comporta de uma maneira um tanto diferente daquela que estamos acostumados.

A Terra e o Sol

Para começar a compreender como o Webb, e os demais telescópios, nos mostram sempre imagens do passado, é interessante analisar o caso da Terra e do Sol. A luz produzida pelo Sol demora cerca de 8 minutos para chegar à Terra. Aqui pode-se pensar a luz como qualquer objeto ou pessoa que viaja, como um passageiro de ônibus que demora um certo tempo até chegar em seu destino.

Ou seja, o Sol, visto por nós, é sempre o Sol de oito minutos atrás. Algo muito diferente da imediatez dos eventos comuns, que acontecem conosco aqui na Terra. Toda visão nossa da vida cotidiana chega instantaneamente aos nossos olhos, graças a velocidade da luz, que é a maior do Universo.

Isto porque o Sol está a uma distância muito grande de nós, e que sua luz, mesmo percorrendo o Universo na maior velocidade fisicamente possível, demora oito minutos para chegar até nós.

Luz e galáxias distantes

Agora, imagine um ano-luz. Ao contrário do que pode parecer, um ano-luz é uma medida de distância e não de tempo. Ele é igual a distância percorrida pela luz em um ano. Se o Sol está a apenas 8 minutos da Terra, um ano-luz é muito, muito maior do que a distância entre a Terra e o Sol.

As galáxias que o James Webb e outros telescópios conseguem observar estão a milhões de anos-luz de nós. A nossa própria galáxia tem 100 mil anos-luz de ponta a ponta!

Isso quer dizer que, todos esses astros vistos nos telescópios, todos esses fenômenos, estão sendo vistos por nós com centenas de milhões a dezenas de bilhões de anos de atraso, pois foi o tempo que demorou para essas luzes chegarem até nós.

Por um lado parece um tanto triste, estar presenciando acontecimentos que já passaram, ao invés de poder ver como o Universo está "no presente". Por outro, esse fato nos ajuda a compreender e observar o início do Universo, e como ele e as galáxias e até nós mesmos, nos desenvolvemos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos