Por que (quase) não temos jogadores africanos atuando no futebol brasileiro?

Gabriel Gonçalves
·2 minuto de leitura

Os jogadores africanos costumam fazer sucesso na Europa, como os casos atuais de Sadio Mané e Mohamed Salah; além de outros tantos nomes como Didier Drogba, Samuel Eto'o, Emmanuel Adebayor, George Weah e uma lista extensa.

Portanto, isso demonstra que a África é um continente formador de grandes jogadores do futebol, e as seleções se destacam até nas Copas do Mundo, como Gana em 2020, que quase chegou à semifinal.

Ivory Coast v Togo - 2013 Africa Cup of Nations: Group D | Gallo Images/Getty Images
Ivory Coast v Togo - 2013 Africa Cup of Nations: Group D | Gallo Images/Getty Images

Todavia, no futebol brasileiro, não é comum termos a presença de jogadores africanos e poucos atletas do continente já fizeram sucesso no país. Joel é um camaronês que rodou por clubes do território, Mark Williams defendeu o Timão e William Andem foi reserva do Cruzeiro por mais de 2 temporadas.

Atualmente, Kalou é o principal representante do futebol africano no Brasil, vestindo a camisa do Botafogo. Porém, o jogador não chegou no país diretamente da África, mas sim após uma longa carreira no futebol brasileiro, o que mantém a pergunta: por que o futebol brasileiro não conta com atletas africanos?

2020 Brasileirao Series A: Botafogo v Fluminense Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus | Bruna Prado/Getty Images
2020 Brasileirao Series A: Botafogo v Fluminense Play Behind Closed Doors Amidst the Coronavirus | Bruna Prado/Getty Images

Falta de estrutura

Para encontrar grandes jogadores africanos, é preciso ter contatos no continente do outro lado do continente. Parte do trabalho envolve um complexo serviço de scout para mapear os talentos e descobri-los. O Brasil não conta com uma estrutura deste tamanho, e poucos clubes, como o Athletico-PR, têm escolinhas no local.

Também não há interesse para que se estruture uma rede de negócios entre Brasil e África. Os empresários brasileiros concentram-se em exportar atletas para a Europa, principalmente pelos bons rendimentos em dólar e em euro. Trazer os nomes africanos para o Brasil representa poucos ganhos em real, o que não se torna tão atrativo assim para a visão dos empresários do país.

Falta de 'raízes'

Há um motivo simples que faz os jogadores africanos irem para a Europa: condições financeiras. De fato, o continente europeu atrai atletas de todo o mundo pela qualidade de vida e o alto desenvolvimento de seus países. Porém, para além disso, a África foi completamente colonizada pelo Velho Continente, o que cria certas raízes profundas entre ambos.

Manchester City v Liverpool FC - Premier League | Visionhaus/Getty Images
Manchester City v Liverpool FC - Premier League | Visionhaus/Getty Images

Assim, é comum que africanos morem no continente europeu, fazendo com que seus filhos nasçam nesses países ou simplesmente tenham cidadania e trânsito livre no Brasil. Os habitantes da Costa do Marfim, por exemplo, foram colonizados pela França, mantendo um relacionamento mais estreito com o local.

Por isso, é comum que seja mais fácil encontrar os talentos, já que eles podem ser filhos ou até netos de moradores do próprio continente. Para além, há outros motivos que afastam os africanos do Brasil; e nós completamos mais sobre o assunto no vídeo abaixo. Confira!