Por que Salma Hayek não contou abuso de Weinstein a Penélope Cruz

·2 minuto de leitura
Penelope Cruz and Salma Hayek wearing Dolce & Gabbana (Photo by Victor Chavez/WireImage for Dolce & Gabbana)
Penelope Cruz e Salma Hayek posam juntas em evento da Dolce & Gabbana (Photo by Victor Chavez/WireImage for Dolce & Gabbana)

Resumo da notícia:

  • Salma Hayek optou por não contar para a amiga de longa data Penélope Cruz que havia sido vítima de assédio do produtor Harvey Weinstein

  • "Eu estava tentando protegê-la", disse a atriz mexicana em entrevista recente

  • Hayek contou que temia que Cruz perdesse boas oportunidades de trabalho por causa dela

Salma Hayek e Penélope Cruz são amigas de longa data. A relação, no entanto, quase foi estremecida por causa de uma informação que a atriz mexicana preferiu omitir para a sua companheira de profissão durante bons anos: a que fora uma das vítimas de assédio do produtor Harvey Weinstein.

A história foi revelada pela própria Hayek em entrevista ao jornal britânico Sunday Times. Atacada por Weinstein durante as gravações de "Frida" (2002), ela preferiu guardar o trauma para si. “Algumas pessoas ficaram furiosas comigo, como a Penélope, mas eu estava tentando protegê-la”, lembrou.

Leia também:

Hayek só tornou pública a sua experiência de assédio com o diretor em 2017, no auge do movimento #MeToo. Antes disso, a atriz de 54 anos observava a relação do produtor com a sua amiga. “Eu fiquei de olho nas interações entre os dois [Weinstein e Cruz] e nunca falei com ela. Eles [Miramax, produtora de Weinstein] estavam fazendo os melhores filmes”, justificou a mexicana. 

“Ela [Cruz] não tinha os meus problemas. E, se eu falasse com ela, teria afetado escolhas que acabaram sendo boas para a carreira dela”, completou Hayek. Após uma série de denúncias contra ele em Hollywood, Harvey Weinstein foi condenado a 23 anos de prisão por estupro e assédio sexual.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

O relato de Salma

Harvey Weinstein, Salma Hayek, and wife during Miramax 2003 MAX Awards - Inside at St. Regis Hotel in Los Angeles, California, United States. (Photo by KMazur/WireImage)
Em 2002, Harvey Weinstein, Salma Hayek e a esposa dele na época, Eve Chilton, posaram juntos (Photo by KMazur/WireImage)

Ao New York Times, Salma Hayek deu detalhes dos momentos de convivência com o produtor, a quem chamou de "monstro", durante as gravações de "Frida". Segundo ela, a relação era recheada de "nãos". "'Não' para abrir a porta a qualquer hora da noite, hotel após hotel, locação após locação", relatou a atriz.

"'Não' para (a proposta de) tomar banho com ele. 'Não' para deixar que me veja tomar banho. 'Não' para que eu deixe ele me massagear. 'Não' para que eu deixasse um amigo seu sem roupas me massagear. 'Não' para deixar que ele fizesse sexo oral em mim. 'Não' para que eu ficasse nua junto a outra mulher", completou.

O longa foi um grande sucesso, ganhando dois Oscar e arrecadando 56 milhões de dólares nas bilheterias. O que não apagou a péssima experiência vivida por Hayek. "Até que haja igualdade em nossa indústria, com homens e mulheres que tenham o mesmo valor em todos os aspectos, nossa comunidade continuará sendo um terreno fértil para predadores", ressaltou a atriz.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries:

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos