Por segurança, PT orienta militância a andar em grupos e não usar bandeira com mastro em ato com Lula

Em uma tentativa de evitar novos casos de violência, o PT enviou uma série de recomendações para seus militantes adotarem durante o ato público que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participará em Brasília. O evento ocorrerá no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, no final da tarde de terça-feira, e será aberto ao público, com a presença de líderes locais e de apoiadores.

O ato público de Lula em Brasília ocorrerá três dias depois da morte de Marcelo Arruda, militante do PT assassinado a tiros por um policial penal bolsonarista em Foz do Iguaçu (PR), durante sua festa de aniversário de 50 anos no último sábado.

Ato de Lula no Rio: Após confessar ter jogado artefato com fezes em ato de Lula no Rio, preso volta atrás e nega acusações

Intolerância: Pacheco diz que Lula e Bolsonaro devem evitar violência política: 'Não adianta jogar a culpa um para o outro'

As orientações pedem para os apoiadores chegarem cedo, não levarem mochilas e bolsas grandes ou garrafas de água. Bandeiras só entrarão sem mastro ou cabo. Será exigido documento de identificação na entrada, que terá revista com detector de metal. O partido solicita ainda que o militante tenha uma camiseta reserva à vermelha para andar em trajetos que fizer sem companhia.

As orientações, formuladas pelo setorial de segurança pública do PT no DF, pedem ainda que os apoiadores andem em grupos até a parada de ônibus e a rodoviária, não aceitem provocação de bolsonaristas infiltrados e não discutam ou agridam nenhum provocador. O texto frisa: "Ações heróicas podem causar riscos desnecessários a você e ao teu coletivo de militantes."

A orientação solicita que, na hipótese de se identificar algum suspeito, faça fotos, grave a situação de ameaça e procure a equipe de segurança. Com portões abertos desde 15h, o evento está marcado para 17h, e a presença do ex-presidente Lula é esperada a partir das 18h30.

Além do ato público, em viagem a Brasília durante a terça e quarta-feira, Lula terá encontro com o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco, e uma série de agendas políticas com aliados do Mato Grosso, Amazonas, Amapá e Goiás, além de reunião na Confederação Nacional do Comércio e com setores da cultura.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos