Porciúncula e Natividade amanhecem sem novas enchentes, mas previsão é de chuva para a tarde desta segunda

Rodrigo de Souza
·3 minuto de leitura

RIO — Após a cheia provocada pelo temporal de sábado (20), o Rio Carangola recuou entre a noite de domingo (21) e a manhã desta segunda-feira (22), trazendo alívio à população das cidades de Porciúncula e Natividade, no Noroeste Fluminense, que registraram inundações históricas no fim de semana. A tempestade provocou uma cheia que invadiu as ruas de ambos os municípios, deixando mais de 3 mil desalojados apenas em Porciúncula. Em Natividade, as tempestades provocaram deslizamentos e deixaram pelo menos um ferido. A previsão do tempo na região para as próximas horas ainda é de chuva, segundo o Climatempo.

Leia: href="https://oglobo.globo.com/rio/apos-10-anos-do-brs-rio-pode-ganhar-mais-tres-corredores-exclusivos-para-onibus-24892333">Após 10 anos do BRS, Rio pode ganhar mais três corredores exclusivos para ônibus

Cidade mais afetada pelo temporal, Porciúncula amanheceu sem chuva nesta segunda. Aos poucos, os alagamentos dão lugar à lama e ao lixo nas ruas do município, que foram 80% tomadas pelas enchentes, segundo a prefeitura. O governo municipal também informou que o nível do Carangola baixou de 8,40m, maior índice registrado no fim de semana, para 4,20m às 8h desta segunda, mais de um metro abaixo da cota de inundação.

O secretário estadual de Desenvolvimento e Assistência Social, Bruno Dauaire, percorreu a cidade nesta segunda-feira. De acordo com a prefeitura de Porciúncula, Dauaire prometeu providenciar aluguel social para as famílias mais prejudicadas pelas chuvas, além de garantir doações de materiais de limpeza, colchões e cestas básicas. Ele também solicitou à Empresa de Obras Públicas do Estado do Rio de Janeiro (Emop) uma vistoria nas pontes da cidade e em localidades que apresentaram os maiores danos de infraestrutura, como o bairro Cristo Rei.

No domingo à noite, um caminhão enviado pela Secretaria de Estado de Defesa Civil (Sedec-RJ) chegou à cidade trazendo doações para desalojados e desabrigados. Funcionários da prefeitura e moradores viraram a madrugada distribuindo alimentos, itens de higiene pessoal e água, que ficou em falta na cidade depois que a cheia do Carangola levou a Cedae a interromper o fornecimento. Vizinhos, os municípios mineiros de Eugenópolis e Antônio Prado de Minas também enviaram à cidade caminhões-pipa para ajudar na limpeza das ruas. A força-tarefa de assistência teve como foco o bairro Operário, o mais atingido pelas enchentes, segundo moradores.

Nesta segunda-feira, o prefeito da cidade, Leo Coutinho (Republicanos), chegou a embarcar num helicóptero dos Bombeiros rumo a Brasília, com o intuito de "buscar melhorias para Porciúncula", segundo a administração municipal.

O município de Natividade amanheceu com vias e córregos desobstruídos, de acordo com a prefeitura. A cidade também recebeu doações da Defesa Civil Estadual, que prometeu o envio de 1,2 mil litros de água potável e 200 cestas básicas para os municípios da região.

Neste domingo, um deslizamento atingiu um trailer de lanches na Rua Governador Portela, deixando seu proprietário ferido. O homem foi socorrido por um helicóptero dos bombeiros e levado ao hospital São José do Avaí, no município de Itaperuna. Segundo a Rádio Natividade, vinculada à prefeitura da cidade, o comerciante fraturou o fêmur e a clavícula, mas passa bem.