Porta-voz adjunto da Casa Branca renuncia por comentários 'abomináveis' a jornalista

·1 minuto de leitura
A secretária de imprensa da Casa Branca Jen Psaki

A Casa Branca anunciou neste sábado (13) que aceitou a renúncia de um alto funcionário que supostamente ameaçou "destruir" uma jornalista que lhe perguntou por sua vida pessoal.

O porta-voz adjunto da Casa Blanca, TJ Ducklo, foi suspenso originalmente por uma semana sem pagamento, mas agora o governo do presidente Joe Biden aceitou sua renúncia, disse a secretária de imprensa da presidência, Jen Psaki, em comunicado.

Segundo a revista Vanity Fair, Ducklo ligou para a repórter do jornal Politico, Tara Palmeri, depois que ela começou a fazer perguntas sobre sua relação pessoal de meses com a repórter Alexi McCammond do Axios, jornal rival do Politico.

"Te destruirei", disse supostamente Ducklo a Palmeri em uma ligação telefônica pouco depois da posse de Biden em 20 de janeiro.

Segundo a Vanity Fair, Ducklo "fez comentários depreciativos e misóginos" a Palmeri e a chamou de "ciumenta".

Psaki disse que a Casa Branca aceitou a renúncia de Ducklo depois de falar com ele no sábado à noite e que ele tem o apoio do chefe de gabinete.

"Estamos comprometidos a nos esforçar todos os dias para cumprir com o padrão estabelecido pelo presidente de tratar os demais com dignidade e respeito, com cortesia (...) através de nossas palavras e nossas ações", disse Psaki em sua declaração.

dw/acb/dg/lda/aa