Porto Alegre terá Sebastião Melo e Manuela D'Ávila no 2º turno

PAULA SPERB
·2 minuto de leitura

PORTO ALEGRE, RS (FOLHAPRESS) - A eleição da capital gaúcha será decidida no segundo turno. A candidata Manuela D'Ávila (PCdoB) e o ex-vice-prefeito Sebastião Melo (MDB) disputarão os votos dos eleitores porto-alegrenses. Melo registrou 31,01% dos votos e Manuela, 29,00%. Pesquisa Ibope de 14 de novembro mostrava Manuela com 40% das intenções de votos válidos, Marchezan com 17% e Sebastião Melo (MDB) com 25%. Ao longo da campanha, Marchezan enfrentou um pedido de impeachment, considerado por ele eleitoreiro. Além disso, seu vice na atual gestão, Gustavo Paim (PP), disputou a eleição com uma chapa própria. Manuela foi candidata a vice-presidente em 2018, na chapa de Fernando Haddad (PT). Agora, o PT é a sigla de seu vice, o ex-ministro Miguel Rossetto. Manuela foi alvo de ataques virtuais ao longo da campanha. A Justiça Eleitoral determinou na última segunda-feira (9) que Facebook, Instagram, Twitter e YouTube retirassem do ar meio milhão de compartilhamentos de conteúdo falso contra ela. Além disso, a eleição foi marcada pela desistência da candidatura de José Fortunati (PTB), que estava tecnicamente empatado em segundo lugar no Ibope de 29 de outubro com Marchezan e Melo. Fortunati declarou apoio a Melo em um vídeo compartilhado em redes sociais. Fortunati optou por desistir porque o vice de sua chapa teve a candidatura indeferida pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral) na última segunda-feira (9). Em razão da proximidade do pleito, a impugnação afetou a chapa inteira. A decisão foi por unanimidade (seis votos). O recurso contra a chapa de Fortunati teve como autor o candidato a vereador Luiz Armando de Oliveira (PRTB), cujo partido compõe a chapa de Melo. Melo já foi vice-prefeito da capital gaúcha na gestão de Fortunati (2013-2016). Também disputaram a eleição a deputada federal Fernanda Melchionna, 36 (PSOL), o vice-prefeito, Gustavo Paim, 43 (pp), o ex-judoca João Derly, 39 (Republicanos), a deputada estadual Juliana Brizola, 45 (PDT), o professor Júlio Flores, 61 (PSTU), o médico Montserrat Martins, 61 (PV), o deputado estadual Rodrigo Maroni, 39 (Pros) e o dvogado Valter Nagelstein, 50 (PSD).