Portugal aprova novo sistema de verificação prévia após série de escândalos em contratações para governo

Premiê de Portugal, António Costa

Por Catarina Demony

LISBOA (Reuters) - O governo de Portugal informou nesta quinta-feira que os futuros funcionários terão que responder a um questionário antes de serem nomeados para provar que estão aptos para o cargo depois que uma série de escândalos de contratação abalou o governista Partido Socialista.

O novo sistema de verificação, um conjunto de 34 perguntas, permitiria ao governo verificar os antecedentes dos candidatos e se não havia conflitos de interesse antes de serem nomeados, disse a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, em entrevista coletiva.

Vieira da Silva disse que também terão de assinar uma declaração de honra.

“Esse mecanismo é anterior à nomeação e busca antecipar um problema”, disse ela. "Não é uma investigação... é um conjunto de perguntas que permite que a pessoa assuma a responsabilidade."

Os socialistas, liderados pelo primeiro-ministro António Costa, conquistaram uma maioria parlamentar absoluta em uma eleição no ano passado.

Mas o governo teve uma trajetória difícil desde então, com 11 ministros e secretários de Estado deixando seus cargos, alguns devido a alegações de má conduta no passado ou de práticas questionáveis.

Foi noticiado no início deste mês que a secretária de Estado da Agricultura, Carla Pereira, que pediu demissão após cerca de 26 horas no cargo, teria tido suas contas bancárias confiscadas devido a uma investigação de corrupção contra seu marido, um ex-prefeito.

No final de dezembro, o ministro da infraestrutura, Pedro Nuno Santos, renunciou após uma reação pública sobre as pesadas indenizações recebidas por um novo secretário do Tesouro da companhia aérea estatal TAP, que era da competência do ministro.

(Reportagem de Catarina Demony)

((Tradução Redação Rio de Janeiro))

REUTERS PF