Portugal declara "estado de emergência" por causa do coronavírus

O primeiro-ministro português, Antonio Costa, na entrada do Palácio de São Bento, enquanto aguarda o primeiro-ministro da Suécia, Stefan Lofven, antes do encontro em Lisboa

Portugal decretou estado de emergência nesta quarta-feira (18) à noite, que permite que o governo possa restringir o deslocamento da população como forma de frear a propagação da pandemia do novo coronavírus no país, que tem uma população estimada em 10 milhões de habitantes.

"Acabo de decretar estado de emergência. Uma decisão excepcional em um período excepcional", declarou o presidente conservador Marcelo Rebelo de Sousa durante um pronunciamento à nação, transmitido pela televisão.

"Não se trata de uma interrupção da democracia. Mas trata-se da democracia que tenta impedir uma perda irreparável na vida das pessoas", explicou.

Segundo o último balanço oficial desta quarta, Portugal contava com 642 casos confirmados de Covid-19 e duas mortes.

Em Ovar, cidade no centro de Portugal, o confinamento está acontecendo desde esta quarta à tarde.

O governo tomou a decisão de decretar o "estado de calamidade pública" em Ovar, por causa do alto risco de transmissão generalizada neste município, segundo comunicado.

Esse município, de 55.000 habitantes, contava nesta terça à noite com cerca de 30 casos confirmados e mais de 440 pessoas sob observação.

"Estamos diante de um número alto de casos confirmados em uma zona relativamente restrita", explicou Marta Temido, ministra da Saúde.