Portugal entra em estado de emergência sanitária a partir de segunda-feira

·1 minuto de leitura
O presidente português Marcelo Rebelo de Sousa participa de cerimônia em memória das vítimas de Covid-19 no palácio de Belém, em Lisboa, em 2 de novembro de 2020.
O presidente português Marcelo Rebelo de Sousa participa de cerimônia em memória das vítimas de Covid-19 no palácio de Belém, em Lisboa, em 2 de novembro de 2020.

A partir de segunda-feira (9), Portugal estará em estado de emergência sanitária pelas próximas duas semanas, permitindo que o governo fortaleça as medidas restritivas na tentativa de frear a pandemia do coronavírus, segundo um projeto de decreto presidencial revelado nesta quinta-feira (5).

"A segurança jurídica das medidas adotadas ou que serão adotadas pelas autoridades competentes (...) exige a declaração de um estado de emergência de alcance muito limitado e de efeitos amplamente preventivos", diz o texto assinado pelo presidente Marcelo Rebelo de Sousa, que, a princípio, será aprovado pelo parlamento na sexta-feira.

Entre as medidas que o decreto permitirá está "a proibição de circular em via pública em certos períodos do dia ou em dias da semana".

Durante a primeira onda da pandemia, na primavera, o país esteve em emergência sanitária durante seis semanas.

Sete de cada 10 portugueses estão submetidos desde quarta-feira a um novo confinamento, mais flexível que o primeiro, durante pelo menos duas semanas em 121 dos mais de 308 municípios do país.

O primeiro-ministro de Portugal, Antonio Costa, não descarta aplicar um toque de recolher como em vários países europeus.

As autoridades de Saúde reportaram na quarta-feira um recorde diário desde o início da epidemia, com 59 mortes e 7.497 novos casos devido ao registro tardio de 3.570 casos detectados desde a quinta-feira.

O número de casos confirmados dobrou durante o último mês no país, com um total de 161.350 casos, segundo o balanço oficial divulgado na quinta-feira.

tsc/lf/mba/mis/mb/gf