Portugal junta-se ao dispositivo de combate ao forte incêndio em Zamora

O incêndio na serra de la Culebra ou da Coroa, perto de Zamora, em Espanha, agravou-se este sábado devido a onda de calor que está a assolar Espanha e o muito vento que se fez sentir.

"Estávamos completamente abandonados e deixados nas mãos de Deus. Eramos a Espanha desertificada e agora somos a Espanha calcinada", referiu Pablo, um residente em Litos, uma das localidades afetadas pelo incêndio, citado pelo El País.

Portugal está a ajudar o país vizinho com um dispositivos de 13 veículos e 39 operacionais, incluindo 13 elementos do  Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

Até este sábado já tinha sido consumidos pelo fogo mais de 25 mil hectares, sobretudo floresta, numa região que faz fronteira com o distrito português de Bragança.

"Neste momento, não" há perigo que o incêndio alastre para Portugal, assegurava este sábado à tarde fonte do fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Bragança.

De acordo com a agência Efe, o incêndio na província espanhola, que faz fronteira com o distrito de Bragança, chegou a obrigar à evacuação de 14 povoações, que contam com um total de 1.700 habitantes.

Entretanto, das 14 povoações evacuadas, os habitantes de sete puderam regressar às suas casas: Boya, Cabañas de Aliste, La Torre de Aliste, Mahíde, Palazuelo de las Cuevas, Pobladura de Aliste e San Pedro de las Herrerías.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos