Possível corte em orçamento para UTIs causa apreensão entre gestores de saúde

·1 min de leitura
**Arquivo**SÃO PAULO, SP, BRASIL. 11/12/2020 - Pacientes em UTI do hospital no IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo). (foto: Rubens Cavallari/Folhapress)
**Arquivo**SÃO PAULO, SP, BRASIL. 11/12/2020 - Pacientes em UTI do hospital no IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo). (foto: Rubens Cavallari/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A informação de que o Congresso poderá cortar o orçamento para 2022 destinado ao custeio de UTIs causa apreensão no Ministério da Saúde e entre secretários estaduais, que tentam evitar a redução dos valores.

Chegou à Saúde a previsão de redução de R$ 5 bilhões para R$ 3 bilhões, e que os R$ 2 bilhões cortados seriam destinados a emendas de relator para a área, mas não necessariamente para leitos.

Secretários lembram que há fila para cirurgias e tratamentos paralisados pela pandemia e que falhas na vacinação de outras doenças podem aumentar a procura por leitos em 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos