Posse de Lula: entrada na Praça dos Três Poderes será limitada a 30 mil pessoas; manifestações adversas não serão permitidas

A cerimônia de posse do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no próximo dia 1°, contará com um grande esquema de segurança que envolverá todas as forças de segurança. Mais de 300 mil pessoas são esperadas para a cerimônia e para as festividades que serão realizadas na Esplanada dos Ministérios. Haverá uma limitação de 30 mil pessoas na Praça dos Três Poderes, na frente do Palácio do Planalto. Manifestações políticas adversas não serão aceitas no local, de acordo com as autoridades. A região, os prédios dos poderes e dos ministérios, passarão por uma varredura a partir desta sexta.

Veja também: Ainda abatido pela derrota e temendo Justiça, Bolsonaro deve deixar o país nos próximos dias

Transição: Lula amplia espaço de partidos de centro e oferece 3 ministérios ao PSD e 3 ao União Brasil

Além da segurança dos eleitos, do público e de outros políticos, ao menos 56 delegações internacionais já confirmaram presença. Por isto, o acesso a todos locais de aglomeração terão revista. O secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Júlio Danilo, detalhou algumas das restrições de horários para chegada à festa.

— Mais de 50 reuniões foram realizadas ao longo do último mês para garantir a segurança do presidente eleito até a Esplanada dos Ministérios e, depois, até o Congresso e o Palácio do Planalto. Para quem for aos shows, o acesso será pela Avenida N1. Na Praça dos Três Poderes, a limitação será de 30 mil pessoas, com limitação de chegada até 12h30 e com revista e detecção de metais. Não será permitida a entrada de objetos cortantes e inflamáveis. Os estacionamentos serão nos setores de Diversões, Autarquias e Bancários. Cheguem cedo, com antecipação — disse o secretário.

Será proibido acessar a área portando armas brancas ou objetos pontiagudos, garrafas de vidro e latas, hastes de bandeiras, espetos de churrasquinhos, apontador a laser e similares, armas de brinquedo, réplicas ou simulacros, barracas, tendas similares, fogões e similares, fogos de artifício e artefatos explosivos, dispositivos de choque elétrico ou sonoros (como megafone), substâncias inflamáveis, drogas ilícitas ou quaisquer outros materiais que coloquem em risco a segurança das pessoas e do patrimônio. Não será permitido acessar a área com animais, exceto cães-guia. Aos que pretendem levar lanche e água, a recomendação é que utilizem embalagens de plástico transparentes.

Manifestações adversas serão proibidas

Secretário chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha reforçou que manifestações políticas adversas à cerimônia de posse não serão aceitas na área central de Brasília. A região da Esplanada dos Ministérios será fechada nesta sexta-feira, quando será ponto facultativo. A intenção é diminuir a circulação de pessoas na área central do DF e fazer uma varredura na área. O trabalho será feito tanto na Esplanada, quanto nos prédios do Congresso, do Planalto, do Supremo Tribunal Federal, do Itamarati e dos ministérios. O efetivo policial empregado não foi informado.

— Manifestações políticas adversas ao presidente eleito não serão aceitas no dia da posse na região central de Brasília. Com a diminuição da circulação de pessoas, o trabalho de varredura será realizado no local — explicou.

Toda a região será monitorada pelas forças de segurança do DF, por meio de imagens de câmeras de videomonitoramento, drones, com informações enviadas ao Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), que sediará o Gabinete de Gestão Estratégica, que reunirá, no dia, o alto-comando da segurança pública do Distrito Federal e representantes de órgãos de segurança federais. Cabe destacar que também existe, em âmbito federal, planejamento para a segurança do presidente, chefes de estados e outras autoridades.

Para maior celeridade aos atendimentos de ocorrências e na prestação de serviços durante o evento, será montada uma Cidade da Segurança, na área do Museu Nacional. A estrutura dará apoio aos agentes durante a operação e funcionará como uma base das forças de segurança. Além de comandos móveis das corporações e pontos de apoio para tropas especializadas, haverá um posto de regulação médica que funcionará de forma conjunta entre SAMU e Corpo de Bombeiros (CBMDF) no local. Outros três pontos médicos e ambulâncias de atendimento pré-hospitalar serão posicionadas ao longo da Esplanada.