Prédio de antigo cinema é desapropriado para abrigar primeiro Teatro Municipal de Nova Iguaçu

A cidade de Nova Iguaçu vai em breve ganhar um Teatro Municipal. A prefeitura oficializou na última semana a desapropriação do imóvel onde funcionava o Cine Iguaçu, fundado na década de 1950 na Praça Antônia Flores Teixeira, em frente à estação de trem. O prédio, que tem mais de 800m², vai passar por uma reforma para abrigar o novo espaço cultural na região.

No endereço será inaugurado o primeiro Teatro Municipal da cidade, com capacidade para mil pessoas. As obras, segundo a Prefeitura de Nova Iguaçu, devem começar em breve.

Em 2014, o local chegou a funcionar como uma casa de shows, chamada Vintage Hall, aberta por pouco tempo. Depois disso, ficou abandonado. Considerado um patrimônio histórico do município, o imóvel estava funcionando como estacionamento, passando por um processo de degradação e descaracterização devido à falta de manutenção. O secretário de Cultura de Nova Iguaçu, Marcus Monteiro, afirma que a reforma do espaço vai deixar um legado cultural importante para a cidade:

— Vamos fazer uma obra de restauração do prédio para manter a maior quantidade possível das características originais, buscando modernização e conforto, com, por exemplo, a construção de camarotes. Esse prédio é um dos mais icônicos da cidade, porque por aqui passaram nomes como Grande Otelo, Oscarito e Emilinha Borba, entre outros. Será uma obra sensacional para Nova Iguaçu e um legado cultural incrível.

Profissionais de Engenharia e Arquitetura já realizam visitas técnicas no imóvel. Os banheiros, o mezanino e o palco serão aproveitados. O declive da plateia também vai passar por reformas. O telhado, que sofre com infiltrações, será restaurado. E a instalação elétrica será totalmente refeita. A praça onde está o prédio também vai passar por revitalização.

A fachada do prédio, que já teve cores em branco e verde, vai ser agora pintada de vinho. Lá dentro, é mantido um lustre de 1948, um dos itens de maior valor histórico do espaço. Também estão conservados ornamentos e esquadrias.

— Esse prédio tem mais de 70. Foi fundado na época do ciclo da laranja. O construtor Antônio Vaz Teixeira era um citricultor. Quando a economia da laranja começou a declinar, muitos investiram em loteamento, enquanto ele preferiu investir em cultura, numa rede de cinemas. Estamos resgatando esse sonho, porque sonhos não envelhecem — afirma o secretário municipal de Cultura.

O prefeito do município, Rogério Lisboa, considera a reforma do prédio um marco para a cidade de Nova Iguaçu:

— É um sonho antigo da sociedade iguaçuana que precisava se tornar realidade. Como capital cultural da Baixada, Nova Iguaçu há muito almeja um Teatro Municipal à sua altura — diz Lisboa.