Prédio desocupado no Centro de Niterói é saqueado e moradores temem por invasões

·1 minuto de leitura

NITERÓI — O abandono do antigo prédio do Tribunal de Contas do Estado (TCE), no início da Avenida Jansen de Melo, no Centro, vem preocupando moradores e comerciantes, que temem pela invasão permanente do imóvel. Há anos desocupado, o edifício já foi seguidas vezes invadidos para saques e, há três semanas, teve os portões de ferro da entrada arrancados. A secretaria estadual de Planejamento e Gestão ainda não tem previsão para intervir no local.

Moradora e comerciante na região, Célia Nascimento diz que evita o local, por medo.

— Nunca se sabe se tem alguém lá dentro mal intencionado. Do jeito que está abandonado, o acesso é livre. Se não vedarem, vai entrar gente ali para morar, em um local sem a menor condição — lamenta.

A secretaria que administra os bens do estado diz que prédio está inserido em um projeto para promover o adequado uso dos imóveis que não estão em utilização pelas áreas administrativas do governo. O antigo prédio do TCE entrou na lista depois da prefeitura desistiu do imóvel. Ele estava cedido desde 2018 ao município, que pretendia instalar ali parte da secretaria de Planejamento, Modernização da Gestão e Controle (Seplag). A prefeitura desistiu e, no início do ano, devolveu o prédio ao estado.

A secretaria estadual de Planejamento e Gestão diz que técnicos da sua administração fazem acompanhamento diário da situação do prédio e já realizaram um levantamento dos serviços necessários para a recuperação do edifício. Como o imóvel é tombado, qualquer intervenção precisa de autorização do Departamento de Preservação do Patrimônio Cultural. A secretaria diz que, quando houver o aval, “iniciará alterações pontuais" . Em nota, diz ainda que, “para impedir novas invasões, a PM foi acionada".

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos