Prédio irregular com dez andares é demolido na Zona Sul do Rio

A Prefeitura do Rio demoliu, nesta quinta-feira, um prédio de dez pavimentos construído irregularmente na comunidade do Vidigal, na Zona Sul do Rio. A obra foi realizada em uma área dominada pelo tráfico e já tinha sido embargada no início de outubro, mas continuou. Segundo engenheiros da prefeitura, os responsáveis pela obra devem ter prejuízo de até R$15 milhões.

Preso há dois meses: Gabriel Monteiro está em cela individual em cadeia na Zona Oeste do Rio

Crime em 2021: Acusado de matar amiga a facadas em Niterói passará por nova avaliação médica

A demolição faz parte de uma operação da Secretaria de Ordem Pública e da Subprefeitura da Zona Sul. Os agentes também identificaram, na obra, uma ligação clandestina de luz utilizada em toda a construção. O prédio tem quatro apartamentos por andar e duas coberturas duplex.

A Secretaria de Ordem Pública explica, também, que a obra não pode ser legalizada por não atender à legislação em vigor para o local, que permite apenas construções unifamiliares. O prédio também ultrapassa o limite de pavimentos permitido para a área.

Violência: Funcionário é baleado quando fazia manutenção da rede aérea da SuperVia, na Zona Norte do Rio

Agentes da Coordenadoria Técnica de Operações Especiais (Coope), da Guarda Municipal, da Secretaria de Conservação, da Comlurb, da Rio Luz, da Light e da Cedae também participaram da operação. Desde 2021, segundo a Seop, foram duas mil demolições de construções irregulares na cidade do Rio. De acordo com o secretário de Ordem Pública, Brenno Carnevale, a ação tem como principal objetivo “a proteção da vida humana”.

— Nós sabemos, infelizmente, que esses prédios ilegais são um grande risco para a população, especialmente para aquelas pessoas que investem um dinheiro de uma vida em um terreno que nunca vai ser dela, tendo em vista total ilegalidade. A gente vai continuar trabalhando para uma cidade mais ordenada e pela proteção das pessoas, especialmente da população carioca — explica.