Príncipe Harry é indenizado por jornal que o acusou de desprezar militares

·2 minuto de leitura
(Arquivo) O príncipe Harry, duque de Sussex, em Londres, em 25 de abril de 2019

O príncipe Harry obteve nesta segunda-feira (1) uma indenização do tabloide britânico Mail on Sunday, que o acusou de desprezar o Exército depois de abandonar suas responsabilidades como membro da família real.

Harry processou a Associated Newspapers, grupo que publica o Mail On Sunday e seu site MailOnline, por difamação em relação a dois artigos "quase idênticos" publicados em outubro, alegando que ele "não mantinha contato" com os militares desde março.

O Supremo Tribunal de Londres validou um acordo que resolve o processo, segundo o qual o grupo de imprensa reconhece que essas alegações eram falsas e estabelece uma indenização, cujo valor não foi divulgado.

Os fundos irão para a Invictus Games Foundation, criada pelo neto de 36 anos da rainha Elizabeth II para ajudar ex-soldados deficientes, anunciou sua advogada Jenny Afia.

Publicadas em 25 de outubro, as duas matérias afirmam que "oficiais superiores exasperados" estavam considerando substituir Harry como capitão-geral dos Royal Marines, porque "ele não havia entrado em contato por telefone, carta, ou e-mail, desde sua última aparição como marine honorário".

Os artigos também afirmam que o duque de Sussex - que serviu por 10 anos no Exército britânico, incluindo missões no Afeganistão - não respondeu a uma carta dirigida a ele pessoalmente por um ex-chefe militar e citou um oficial aposentado que teria pedido a Harry para "levar o trabalho a sério".

Em 27 de dezembro, o Mail On Sunday publicou um pedido de desculpas, reconhecendo que o duque havia estado em contato com os Royal Marines.

Após sua retirada da monarquia britânica em 2020, Harry e sua esposa, Meghan, mudaram-se para a Califórnia com seu filho Archie, nascido em maio de 2019.

Como consequência, o príncipe teve de renunciar às suas funções militares, às quais afirmava ser muito ligado.

pau-acc/mb/mr/tt