Príncipe herdeiro saudita na Europa com negócios em carteira

A Grécia é a primeira paragem do príncipe saudita Mohamed bin Salman no regresso à Europa. Desde o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi, em 2018, que o dirigente de facto da Arábia Saudita não visitava um país da União Europeia.

Durante o encontro que manteve com o primeiro-ministro helénico, Kyriakos Mitsotakis, Bin Salman enumerou alguns dos negócios que o trouxeram a Atenas.

"Temos oportunidades históricas que vamos concretizar, como a ligação da rede de distribuição de electricidade que podemos fornecer à Grécia e ao Sudoeste da Europa com energia renovável bem mais barata. E estamos a trabalhar no hidrogénio e em como transformar a Grécia numa plataforma de distribuição europeia, o que será fundamental para ambos!"

Depois da visita de dois dias à Grécia, Mohamed Bin Salman desloca-se a França.

O homicídio do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado do reino arábico, em Istambul, na Turquia, em 2018 resultou num ostracismo do príncipe por parte dos governos ocidentais.

Mas os imperativos da geopolítica mundial e a guerra da Rússia na Ucrânia tornaram Bin Salman novamente frequentável.

O presidente americano Joe Biden encontrou-se com o príncipe na Arábia Saudita, em meados de julho, por ocasião de uma cimeira do Conselho de Cooperação do Golfo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos