Príncipe Philip é internado 'por precaução'

·3 minuto de leitura

O príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, foi hospitalizado preventivamente em Londres depois de sofrer um mal estar, anunciou o Palácio de Buckingham nesta quarta-feira (17).

O duque de Edimburgo, de 99 anos, "foi internado no hospital King Edward VII na terça-feira à noite. Sua hospitalização é uma medida de precaução, seguindo a orientação do médico de sua alteza real, depois de sua indisposição", disse o palácio em um comunicado, explicando que o príncipe permanecerá internado por "alguns dias".

De acordo com uma fonte do Palácio de Buckingham citada pela BBC, o príncipe vinha se sentindo mal havia vários dias e suas condições de saúde não têm relação com o coronavírus. Uma fonte real disse à Sky News que ele dirigiu até o hospital e que não se tratava de uma internação de emergência.

O primeiro-ministro Boris Johnson enviou "seus melhores votos ao duque de Edimburgo", indicou seu porta-voz.

O primeiro-ministro Boris Johnson enviou "seus melhores votos ao duque de Edimburgo", disse seu porta-voz.

Elizabeth II, de 94 anos, e seu esposo receberam em janeiro a primeira dose da vacina contra o coronavírus, no castelo de Windsor, a oeste de Londres, onde permanecem confinados.

O príncipe Philip abandonou suas atividades oficiais em agosto de 2017, depois de ter participado de mais de 22.000 atos relacionados ao cargo de cônjuge desde 1952, quando sua esposa chegou ao trono. Ele acompanha a rainha esporadicamente em algumas aparições públicas.

Em junho de 2017, o príncipe foi hospitalizado por duas noites por causa de "uma infecção relacionada a uma patologia pré-existente". Em 2018, fez uma cirurgia no quadril.

Em janeiro de 2019, sofreu um grande acidente quando seu Land Rover colidiu com outro veículo que saía de uma trilha da propriedade real de Sandringham. O veículo do príncipe capotou, mas Philip saiu ileso do acidente e depois renunciou à sua carteira de motorista.

No final de dezembro, se internou no hospital King Edward VII e ficou em observação "devido a problemas de saúde pré-existentes", segundo o Palácio.

- Impetuosidade -

A rainha, decana dos monarcas do mundo, reduziu o número de suas aparições públicas, embora não tenha intenção de abdicar. Ela se envolveu pessoalmente durante a crise do coronavírus, que causou mais de 118.000 mortes no Reino Unido, o maior número de vítimas na Europa, e apareceu várias vezes na televisão na primavera para encorajar os britânicos.

Seu filho e herdeiro, o príncipe Charles, a representa cada vez mais em viagens ao exterior, assim como seu neto William.

Nesta quarta-feira, Elizabeth II falou ao telefone com o chefe da Marinha Real. Seu filho Charles, assim como sua esposa Camilla, visitaram um hospital de Birmingham.

Nesta quarta-feira, Elizabeth II falou ao telefone com o chefe da Marinha Real. Charles, assim como sua esposa Camilla, visitaram um hospital de Birmingham

Em novembro de 2017, para seu aniversário de 70 anos de casamento, os sinos da Abadia de Westminster, onde se casaram em 20 de novembro de 1947, tocaram por mais de três horas.

Philip nasceu em Corfu, na Grécia, em 10 de junho de 1921, com os títulos de príncipe da Grécia e da Dinamarca. Aos 18 meses, seu tio, rei da Grécia, foi forçado a abdicar, e seu pai foi exilado após a guerra grego-turca.

Philip fugiu a bordo de um navio do exército britânico com seus pais e quatro irmãs. Por fim, ele foi enviado para a Escócia para um internato austero.

Frequentou a Escola Naval de Dartmouth, no sul da Inglaterra, onde conheceu a princesa Elizabeth pela primeira vez. A união foi celebrada em 20 de novembro de 1947 e eles tiveram quatro filhos: Charles, Anne, Andrew e Edward.

gmo/pau/jz/bl/mab/mb/ap/ic