Praça do Pôr do Sol volta a ficar aberta em horário que permite ver o pôr do sol

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 12.08.2021: Movimentação na Praça do Pôr do Sol, no Alto de Pinheiros, na capital paulista. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 12.08.2021: Movimentação na Praça do Pôr do Sol, no Alto de Pinheiros, na capital paulista. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A partir de segunda (4), a praça do Pôr do Sol, no Alto de Pinheiros (zona oeste de São Paulo), vai poder voltar a receber visitantes que buscam apreciar o sol se pondo de uma das vistas mais conhecidas da cidade.

Depois de protestos dos moradores, a Prefeitura de São Paulo decidiu estender o horário de visitação da praça das 6h às 20h. Desde agosto, quando o local foi reaberto após obras para a instalação de cercas, os visitantes só podiam frequentá-lo das 8h às 18h.

Parte dos moradores e urbanistas protestaram contra a instalação das cercas e a restrição de horário por impedirem o acesso da população a um lugar público.

No fim de setembro, o sol começa a se por após as 18h. A reportagem esteve no local em agosto e constatou que as entradas de acesso à praça eram fechadas ainda com o dia claro.

A extensão do horário de visitação foi identificada com uma demanda da população em audiência pública realizada no fim de agosto na Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal de São Paulo. Na ocasião, também foi discutido um projeto de lei, do vereador Xexéu Tripoli (PSDB) para transformar a praça em parque.

Em julho, a Câmara aprovou, em primeira votação, a transformação para parque municipal. A aprovação definitiva seria uma vitória para os que defendem o cercamento do local. Ainda é preciso uma segunda votação e, em caso de aprovação, a sanção do prefeito Ricardo Nunes (MDB).

Além da ampliação do horário a partir de segunda, a praça também passará a ter dois novos portões de acesso, um na Avenida Diógenes Ribeiro de Lima e outro na escadaria da Rua Décio Reis.

Em fevereiro, a Prefeitura de São Paulo cercou com grades toda a praça do Pôr do Sol a pedido de moradores da região, representados pela Associação dos Amigos de Alto dos Pinheiros. Mas a decisão não recebeu apoio unânime nem mesmo na vizinhança.

A pauta dos que não apoiam o cercamento da praça foi à Justiça. Por meio de uma ação contra a Prefeitura de São Paulo e a subprefeitura de Pinheiros, tentou-se interromper o gradeamento com o pedido de um mandado de segurança.

Aqueles que são contrários consideram ser contraditório a prefeitura ter gasto dinheiro com uma medida de restrição a um espaço público sem a contrapartida de melhoria na estrutura e criação de novas instalações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos