Praticar exercício com o estômago vazio queima 70% mais gordura, diz estudo

Fazer exercícios em jejum pode ajudar a queimar 70% mais gordura do que praticar uma atividade física duas horas depois de comer. É o que aponta um novo estudo feito por pesquisadores da Universidade Nottingham Trent, da Universidade Metropolitana de Manchester e da Universidade de Loughborough, todas na Inglaterra. O trabalho foi publicado na revista científica International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism .

Faz bem para o corpo e a relação: Quantas vezes os casais deveriam fazer sexo por semana para a saúde mental e hormonal?

Costas curvadas, mãos de garra: Cientistas mostram como os humanos poderão parecer no ano 3000, graças à dependência da tecnologia; veja fotos

Segundo os cientistas, isso acontece porque as pessoas que treinam com o estômago vazio não conseguem compensar ao longo do dia as calorias queimadas durante a atividade física.

Embora estudos científicos apontem que os benefícios da atividade física são maiores quando feita no período da manhã, a pesquisa descobriu que é no horário noturno (entre 16h e 20h) que as pessoas mais fazem exercícios físicos devido a outros compromissos pessoais que as impede de se exercitar mais cedo.

Por conta disso, os pesquisadores projetaram o estudo para que os participantes pedalassem em uma bicicleta ergométrica às 18h30 em intensidade moderada por 30 minutos e, logo em seguida, pedalar mais rápido que conseguissem por 15 minutos initerruptos.

Os participantes fizeram isso duas vezes em dias separados — uma vez após um jejum de sete horas e uma vez duas horas depois de comer uma refeição.

Orgulho do SUS: Premiação inédita revela os melhores hospitais públicos do Brasil; saiba quais são

Os resultados mostraram que o exercício em jejum à noite aumentou a quantidade de gordura queimada durante a atividade. A perda de gordura foi semelhante à que ocorre quando se faz atividade física em jejum pela manhã (quando a última refeição foi realizada na noite anterior).

A quantidade de gordura queimada durante o ciclo de 30 minutos aumentou cerca de 70%, indo de 4,5g para 7,7g.

Os pesquisadores mediram a quantidade de comida que os participantes comeram ao longo do dia e também no jantar, após o exercício. Enquanto a ingestão de calorias no jantar foi cerca de 100 quilocalorias maior para aqueles que fizeram exercícios em jejum, a ingestão de calorias durante todo o dia foi em média 440 quilocalorias menor, quando o exercício foi realizado em jejum. Isso significa que, de modo geral, quem fez o exercício em jejum consumiu menos calorias do que aqueles que praticaram a atividade física duas horas após uma refeição.

Os pesquisadores também descobriram, no entanto, que, apesar desses benefícios, os participantes percorreram uma distância um pouco menor durante o exercício de pedalar o máximo possível em 15 minutos, tiveram menor motivação para se exercitar e gostaram menos do exercício quando feito em jejum.

Exercícios: Estudo revela o melhor horário para quem quer emagrecer

"O jejum antes do exercício noturno pode beneficiar alguns elementos da saúde devido ao aumento da quantidade de gordura queimada durante o exercício ou à redução do número de calorias ingeridas durante o dia. Se feito regularmente, pode melhorar a maneira como o corpo lida com picos de açúcar no sangue depois de comer", disse Tommy Slater, pesquisador de ciências esportivas da Escola de Ciência e Tecnologia da Universidade de Nottingham Trent, em comunicado divulgado pela unidade de ensino.

Mas o especialista pondera:

“No entanto, apesar desses benefícios, o jejum durante o dia parece reduzir o desempenho, a motivação e o prazer dos exercícios, o que pode tornar mais difícil para algumas pessoas permanecerem com ele a longo prazo".