Praticar exercícios aeróbicos à noite ajuda a regular a pressão, mostra estudo da USP

·3 minuto de leitura

RIO — Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e recém-publicado na revista científica Blood Pressure Monitoring, revela que a prática de atividades físicas à noite traz mais benefícios para pessoas hipertensas. De acordo com os resultados da pesquisa, os exercícios entre 18h e 21h potencializaram os efeitos positivos do treino para estabilizar a pressão arterial.

Conduzida pela Escola de Educação Física e Esporte da Universidade de São Paulo (EEFE-USP), a análise levou em consideração a Taxa de Recuperação Cardíaca (TRC) para comparar a resposta das atividades físicas em diferentes horários do dia.

— A TRC é um excelente índice a ser avaliado. Trata-se da diferença do número de batimentos cardíacos entre o final da etapa de exercícios e o tempo estipulado para uma nova avaliação — explica o doutor em endocrinologia e metabologia pela Faculdade de Medicina da USP Antonio Carlos do Nascimento, de São Paulo.

Segundo o pesquisador Leandro Campos de Brito, responsável pelo estudo, a descoberta é muito importante pois cerca de 25% das pessoas não conseguem controlar a pressão arterial facilmente com exercícios físicos e, para elas, são necessárias estratégias diferentes, como o treino em momentos que potencializem os seus benefícios.

Nascimento explica que a atividade física é essencial para pessoas com hipertensão arterial pois as substâncias produzidas por ela favorecem o aumento da concentração do colesterol HDL no sangue, que é a parte boa do colesterol e que protege contra a doença arteriosclerótica, condição que enrijece os vasos arteriais.

— Elas também promovem um relaxamento vascular sustentado após os exercícios, o que facilita o controle da pressão arterial em pacientes hipertensos e evitam a evolução para a doença naqueles que não a possuem — acrescenta o especialista.

A explicação

Um mecanismo que pode ajudar a explicar o aumento nos benefícios da atividade física durante o período noturno é um tipo de sensibilidade do organismo. Os pesquisadores explicam que se trata de um reflexo do corpo responsável por avaliar a pressão arterial a cada batimento do coração e corrigi-la. Quanto mais sensível for esse controle, melhor. E, para os responsáveis pelo estudo, é possível que o treino à noite tenha melhorado a sensibilidade numa escala maior que o treino pela manhã.

Além disso, o estudo aponta que a pressão arterial de um indivíduo costuma atingir um primeiro pico por volta das 10h e se estabiliza perto das 15h. Depois, há um segundo pico entre 18h e 20h, seguido por uma redução progressiva. Assim, os cientistas sugerem que o treino durante a noite estaria coincidindo com esse intervalo e promovendo uma melhora mais expressiva do impacto na pressão arterial.

O experimento

O estudo envolveu 49 homens de meia-idade com hipertensão arterial e medicados por no mínimo quatro meses com o mesmo tipo de remédio. Eles foram divididos em três grupos, um que treinou pela manhã, das 7h às 9h, outro pela noite, das 18h às 21h e um terceiro para comparação que não praticou atividades físicas.

No início do trabalho, os participantes dos dois primeiros grupos pedalaram na bicicleta ergométrica três vezes na semana durante 30 minutos. Já a partir da quarta semana, esse tempo foi elevado para 45 minutos. No total, os grupos foram acompanhados durante 10 semanas.

Os responsáveis pela pesquisa ressaltam que também foram registrados benefícios naqueles que treinaram pela manhã, só que em menor intensidade. O que comprova a importância da atividade física, independentemente do horário em que ela seja praticada.

*Com supervisão de Adriana Dias Lopes

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos