Prazo para contestação de corte no auxílio de quem recebeu a primeira parcela extra termina nesta segunda

Extra
·1 minuto de leitura
Os trabalhadores devem fazer a contestação através do site da Dataprev e não precisam ir às agências
Os trabalhadores devem fazer a contestação através do site da Dataprev e não precisam ir às agências

O governo abriu dois processos de contestação de bloqueios do pagamento das parcelas extras do auxílio emergencial. A contestação que termina nesta segunda-feira (dia 2) é voltada para os trabalhadores que receberam ao menos uma parcela de R$300 da extensão do auxílio emergencial e que, após a revisão do sistema de banco de dados, tiveram o benefício cancelado.

Já a contestação que começou no sábado é voltada para os beneficiários que receberam o auxílio emergencial de R$600 e que foram considerados inelegíveis e não receberam nenhuma parcela da extensão de R$300 do auxílio emergencial. Neste caso, o prazo se encerra no dia 9 de novembro. Neste caso são mais de 2,1 milhões de trabalhadores prejudicados.

A contestação deve ser feita por meio do site da Dataprev, até 9 de novembro. Segundo o Ministério da Cidadania, a medida não vale para beneficiários do Bolsa Família, que ainda terão os critérios de contestação divulgados.

Após a reanálise dos dados, caso a contestação seja aprovada, a extensão do Auxílio Emergencial será concedida no mês subsequente ao pedido de contestação.

Entre os critérios que determinaram o bloqueio estão: ter mais de 18 anos, não ter emprego formal; não receber benefícios previdenciários; ter renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos; e não ter rendimentos tributáveis acima de R$ 28,5 mil. O beneficiário não pode estar preso, entre outros.