Prazo por David é obstáculo no Fortaleza e Ceni aprova vinda de atacante do Chongqing Dangdai-CHN

Matheus Martins Fontes

​O ​Fortaleza, é bem verdade, está bem longe da projeção estipulada pelo presidente Marcelo Paz de ter oito reforços para a temporada 2020. Até o momento, o Tricolor do Pici anunciou o atacante Edson Cariús e o volante Michel. Um dos objetivos da comissão técnica encabeçada por Rogério Ceni, que permaneceu na capital cearense por mais um ano, é qualificar ainda mais o setor ofensivo, que perdeu o ponta Edinho - acabou voltando ao Atlético-MG, clube que detém seus direitos econômicos, e será utilizado por Rafael Dudamel. 




Atualmente Ceni conta com cinco opções para o setor de ataque - além de Cariús, há Ederson, Osvaldo, Romarinho e Wellington Paulista. O centroavante Kieza acabou se transferindo para o Náutico. De acordo com o ​jornalista André Almeida, do site GloboEsporte.com, a diretoria do Tricolor Cearense trabalha com dois nomes bem conhecidos do torcedor - Marcinho, que hoje está no futebol chinês, e David, em litígio no Cruzeiro. 


Brazilian Football League Serie A - Brasileirao Assai 2019

Marcinho é um desejo antigo do Fortaleza. Na semana passada, Daniel de Paula Pessoa, diretor de futebol do clube cearense, afirmou que havia, sim, um otimismo para o retorno do atacante, que havia sido destaque sob o comando de Ceni na conquista da Série B em 2018. De acordo com Almeida, é mais viável sua vinda, já que há conversas adiantadas entre Marcelo Paz e a direção do Chongqing Dangdai. 


Vale citar que Marcinho tem lugar no seu clube ameaçado pelas leis do futebol chinês. É permitida a presença de apenas quatro estrangeiros no time (três em campo e um no banco de reservas) no país do Oriente e o Chongqing agora conta com cinco estrangeiros. São o meia polonês Adrian e os brasileiros Alan Kardec, Fernandinho e Marcelo Cirino, esse último que deixou o Athletico-PR e atua na mesma posição do ex-atleta do Tricolor do Pici. 




Já David aguarda uma audiência de conciliação, marcada para 5 de fevereiro, para sair do Cruzeiro. O atacante acionou o clube na Justiça para tratar sua rescisão e cobra cerca de R$ 1 milhão por salários e direitos de imagem atrasados. Rogério Ceni deu aval para a diretoria e o Fortaleza já propôs um acordo ao atleta, que aguarda o encerramento das tratativas judiciais para negociar em definitivo com os cearenses. Como o Estadual já começa no fim de janeiro, o Tricolor pode priorizar a escolha por Marcinho a fim de reforçar seu elenco a tempo.