Preço do aluguel cai entre anúncio e assinatura do contrato; veja dicas de como negociar

·1 minuto de leitura

A diferença entre o valor médio do aluguel por m² em anúncios e o efetivamente usado em contratos aumentou para o nível recorde em São Paulo em setembro, mas teve leva queda no Rio de Janeiro, segundo o índice calculado pela imobiliária QuintoAndar. Nas duas capitais, essa diferença se manteve acima dos 15%.

Na capital paulista, os preços de anúncios se mostraram 15,56% mais altos que os usados em contratos em setembro, a maior distância da série histórica, que começa em junho de 2019, superando a marca de 14,98% registrada no mês anterior. No Rio, os preços dos anúncios fecharam o mês passado 15,64% acima daqueles nos contratos, uma diminuição na distância registrada em agosto, quando foi de 16,17%.

O valor médio do m² de aluguel em São Paulo fechou setembro em R$ 35,08, aumento de 0,34% em relação a agosto, maior alta mensal desde março. O acumulado de 12 meses, porém, ainda indica queda de 1,52% na capital paulista, de acordo com dados do indicador, o único do mercado calculado com base nos valores reais de contrato.

No Rio de Janeiro, o valor médio do m² de aluguel voltou a subir após três meses de queda. Entre agosto e setembro, a alta foi de 0,82%, para R$ 29,67/m². No acumulado de 12 meses, o indicador aponta elevação de 3,24%.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos