Preços do patróleo caem por preocupação com demanda e têm 2º mês seguido de baixa

Por Stephanie Kelly
·1 minuto de leitura

Por Stephanie Kelly

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo recuaram nesta sexta-feira e engataram a segunda queda mensal consecutiva, à medida que o aumento no número de casos de Covid-19 nos Estados Unidos e Europa ressalta preocupações sobre as perspectivas de consumo de combustíveis.

O petróleo Brent fechou em queda de 0,19 dólar, a 37,46 dólares por barril, após tocar uma mínima de cinco meses na sessão anterior, a 36,64 dólares. O primeiro contrato do Brent expirou nesta sexta-feira, e o vencimento janeiro terminou o dia em baixa de 0,32 dólar.

Já o petróleo dos EUA (WTI) recuou 0,38 dólar, para 35,79 dólares o barril, depois de atingir o menor nível desde junho na quinta-feira, quando tocou a marca de 34,92 dólares.

O WTI acumulou queda de 11% neste mês, enquanto o Brent registrou perda de 10%.

Líderes da França e Alemanha ordenaram que os países voltem a adotar medidas restritivas ("lockdown"), em momento em que uma enorme segunda onda de infecções pelo coronavírus ameaça castigar a Europa antes do inverno (do Hemisfério Norte).

Os EUA também enfrentam uma disparada na contagem de casos, tendo quebrado seu recorde de infecções registradas em um único dia.

"Muitos países com grande consumo de petróleo em todo o mundo estão vendo níveis de infecção que não tiveram nem mesmo durante a primeira onda", disse Paola Rodriguez-Masiu, analista sênior de mercados de petróleo da Rystad Energy.

"Esses níveis de infecção devem impactar a demanda por petróleo, já que o tráfego será reduzido ao mínimo durante os 'lockdowns'".

(Reportagem de Stephanie Kelly, com reportagem adicional de Shadia Nasralla e Florence Tan)