Preços do petróleo sobem mais de 3% antes de reunião da Opep+ e com reaberturas

Por Laila Kearney
Bombeamento de petróleo em Midland, Texas (EUA)

Por Laila Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo avançaram mais de 1 dólar por barril nesta terça-feira, impulsionados por expectativas de que grandes produtores concordem ainda nesta semana em estender cortes de bombeamento e pelo início das reaberturas em Estados norte-americanos e em alguns países após os "lockdowns" relacionados ao coronavírus.

O petróleo Brent fechou em alta de 1,25 dólar, ou 3,3%, a 39,57 dólares por barril, enquanto o petróleo dos EUA avançou 1,37 dólar, ou 3,9%, para 36,81 dólares o barril.

Ambos os valores de referência se aproximaram de máximas de três semanas.

"Há a antecipação de que a Opep+ chegará a um acordo para estender os atuais níveis (de cortes) por mais dois meses, e ao mesmo tempo o mercado antecipa que a reabertura de economias ao redor do mundo vá elevar a demanda e nos colocar em uma posição na qual, até agosto, o mercado esteja em equilíbrio", disse Andy Lipow, presidente da consultoria Lipow Oil Associates.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, entre eles a Rússia, que formam o grupo conhecido como Opep+, estão considerando prorrogar os atuais cortes de produção, de 9,7 milhões de barris por dia (bpd), para julho e agosto. Uma reunião do grupo deve acontecer na quinta-feira.

Pelo plano em vigor atualmente, esse nível de cortes perduraria por maio e junho, passando para uma redução de 7,7 milhões de bpd entre julho e dezembro. A Arábia Saudita, segundo fontes, tem pressionado para manter as reduções mais profundas por um período maior de tempo.

(Reportagem de Laila Kearney em Nova York, com reportagem adicional de Noah Browning em Londres)