O que você precisa saber para começar a sexta-feira

Jair Bolsonaro e Alexandre Frota, outrora aliados, lado a lado em maio. Agora, restou apenas a troca de farpas - Foto: Câmara dos Deputados

Bolsonaro escancarando ruptura com ex-aliado, projeto de abuso de autoridade e suas consequências e mais polêmicas ambientes com países europeus.

Veja aqui o que você precisa saber para começar a sexta-feira:

"Sei nem quem é”

O presidente Jair Bolsonaro fez pouco caso diante da expulsão do deputado Alexandre Frota (SP) do seu partido, o PSL. Questionado, Bolsonaro disse que sequer conhecia o parlamentar. “Sei nem quem é esse”, declarou.

Expediente menor?

Apenas um dia de trabalho por semana é a “dose mais eficaz” para beneficiar a saúde mental dos trabalhadores remunerados, sugere uma pesquisa. O estudo indicou que o risco de desenvolver problemas de saúde mental diminui em 30% quando as pessoas deixam de ser desempregadas ou de cuidar dos filhos em casa em tempo integral e passam a desempenhar um trabalho remunerado por oito horas (ou menos) por semana.

Decreto das armas

O relator do projeto do governo Bolsonaro sobre a flexibilização do posse e o porte de armas, Alexandre Leite (DEM-SP), divulgou seu parecer sobre o texto. Entre outras mudanças, ele retirou da proposta original a possibilidade de o porte ser concedido sem mudança na lei, e acrescentou regras específicas para para caçadores, atiradores e colecionadores (CACs).

Abuso de autoridade

Foi aprovado na Câmara o projeto de lei que coíbe o abuso de autoridade por parte de agentes públicos como juízes, promotores e policiais. Agora, o texto será encaminhado para sanção do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Condução coercitiva de Lula e grampo de telefonemas de Dilma seriam punidos caso a lei já estivesse em vigor

Amazônia sem verba

O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, anunciou que a Noruega suspenderá cerca de R$ 133 milhões que seria destinado para o Fundo Amazônia. Segundo Elvestuen, o Brasil está quebrando o acordo para redução do desmatamento. A Alemanha também anunciou, no último sábado (10), que suspenderia parte do financiamento de proteção ambiental para o Brasil.