“Preciso saber se Bolsonaro vai permitir que haja transição”, diz Lula após vitória

Lula (PT) celebra com apoiadores após vencer segundo turno contra Bolsonaro (PL) - Foto: CAIO GUATELLI/AFP via Getty Images
Lula (PT) celebra com apoiadores após vencer segundo turno contra Bolsonaro (PL) - Foto: CAIO GUATELLI/AFP via Getty Images

Luiz Inácio Lula da Silva (PT), eleito à presidência da república neste domingo (30), afirmou em ato com apoiadores que precisa saber se Jair Bolsonaro (PL), atual presidente, permitirá que “haja uma transição” de governo nos próximos dois meses.

Lula afirmou ainda que além de feliz com a vitória nas urnas eletrônicas, com 50,90% dos votos válidos a favor contra 49,10% de Bolsonaro, ele também se diz preocupado.

“Eu gostaria de estar só alegre, mas eu estou metade alegre e metade preocupado, porque, a partir de amanhã, eu tenho que começar a me preocupar como é que a gente vai governar este país. Preciso saber se o presidente que nós derrotamos vai permitir que haja uma transição para que a gente tome conhecimento das coisas”, disse o petista.

Ainda durante o ato, Lula afirmou que nesta eleição a vitória nas urnas é consagradora por ter derrotado o fascismo.

“Eu talvez tire dois dias para descansar e depois vou começar a trabalhar porque eu já fui presidente, já ganhei a primeira e de todas as vitórias que eu tive, esta é a vitória mais consagradora porque nós derrotamos o fascismo”, disse. “O povo vai poder sorrir outra vez.”

O petista derrotou Jair Bolsonaro neste domingo, alcançando 50,90% dos votos ante 49,10% do adversário, o equivalente a 60,3 milhões de votos contra 58,2 milhões, respectivamente. O resultado foi o mais apertado na história do Brasil.

A vitória de Lula, no entanto, foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) às 19h57, com 98,81% das urnas apuradas, quando o petista tinha 50,83% dos votos válidos (59.563.912), e Bolsonaro, 49,17% (57.627.462).

O presidente Jair Bolsonaro acompanhou a apuração da Granja do Torto, em Brasília, mas não admitiu a derrota e escolheu não se pronunciar e não fez a tradicional coletiva de imprensa após a divulgação do resultado. Nem o mandatário nem os filhos tinham se posicionado pelas redes.