'Predestinado a fazer sorrir, predestinado a lutar': em novo EP, Eddy Jr. desabafa sobre racismo, ascensão social e vizinhos

"Predestinado a fazer sorrir, predestinado a lutar". Após o caso recente de racismo, o cantor e influencer Eddy Júnior, de 28 anos, lançou na segunda-feira (24) o seu primeiro EP trap como forma de desabafo sobre os acontecimentos. Denominado "Meus Contos", as quatro faixas disponíveis nas principais plataformas digitais são resultado da trajetória do humorista para ter seu trabalho reconhecido, ascender socialmente e, especialmente, lutar contra o preconceito.

Em um trecho da música, denominada "4001", Eddy diz: "se essa rua fosse minha, isso ia ser um perigo. Vizinhança é doida com o tamanho do meu brilho", em alusão ao fato de ser um homem negro morando num lugar em que os vizinhos não o aceitam como integrante da mesma classe social. Já na música "Predestinado", ele ressalta seu propósito de vida, no âmbito pessoal e profissional: "Predestinado a fazer sorrir, predestinado a lutar", e complementa "ele tá progredindo, quanto mais eles te batem, mais ainda você cresce". Além dessas, o EP tem ainda as canções “Olhos Abertos” e “Capitão”.

"O terror da minha vizinha agora não vai ser só o elevador, mas sim os netos dela me ouvindo, os vizinhos ouvindo, os parentes, e se 'pá' até ela vira fã", disse Eddy Jr. em post no Twitter na segunda-feira.

No Instagram, ele afirmou ainda que a discriminação sofrida foi motor para ele ascender na música.

"Quando estou triste eu faço arte, quando estou feliz eu faço arte e agora não seria diferente. Acredito que todo esse sentimento ruim, toda essa insegurança, todos esses gatilhos criados dentro de mim vão servir para algo muito maior… Para todos que compartilharam esse momento triste e constrangedor que eu passei, quero dizer que, muito obrigado por fazer nossas vozes serem ouvidas, e peço pra todos que deram ouvido para esse caso, deem ouvido para esse álbum. Até rimou", disse o influenciador. "Se essa racista achava que estava me menosprezando, ela só estava sendo usada pra um propósito muito maior e cooperando para o bem", completou.

O humorista esteve nas manchetes desde a noite da terça-feira (18) por causa dos ataques racistas proferidos a ele por uma vizinha do condomínio onde mora, no bairro Barra Funda, em São Paulo. Identificada como Elisabeth Morrone, no vídeo divulgado nas redes do artista a mulher aparece gritando "fora, macaco" e "Imundo. Tu é sujo, imundo. Aqui é prédio de família, não de bandido". A vizinha também acusou Eddy de invasão e roubo.

Outro vídeo, de câmeras de segurança do prédio, mostra quando, em setembro, a mulher e o filho dela estiveram na porta do apartamento do humorista com uma faca e uma garrafa. A polícia investiga o caso.

Quem é Eddy Jr.

O paulistano Eddy Jr é um humorista e cantor com 2 milhões de seguidores no Instagram e no TikTok. Seus vídeos já foram compartilhados por Bruna Marquezine, Lázaro Ramos e Kéfera. Ele começou fazendo humor gospel, mas despontou mesmo com suas esquetes de conselhos e frases motivacionais atrapalhadas.

Ao Splash, do Uol, ele contou que sua grande inspiração foi o personagem Chapolin: "Eu via muito Chapolin, e ele tinha isso de dizer os ditados todo atrapalhados. Foi daí que tirei a ideia".

Eddy também sempre posta vídeos em que não economiza nas lágrimas, com situações "dramáticas", que, no fundo, são piadas. Neste aqui, ele mostra como a política acabou com uma amizade.

O jovem também é músico: canta, toca percussão, piano e violão e coloca essas aptidões em prol do humor.

ele ta progredindho, quanto mais eles tem bate mais ainda você cresce.

Eddy Júnior, influenciador de 27 anos, lançou seu EP nesta quarta-feira (26) com quatro faixas sobre o caso de racismo vivido nas últimas semanas. O artista sofreu ameaças e foi alvo de ofensas racistas de sua vizinha Elisabeth Morrone.

O caso teve repercussão nacional e artistas e ativistas prestaram apoio a EddyJúnior nas redes sociais, como Paulo Vieira, Daniela Araújo, Yuri Marçal, Paulo César Baruk, Lázaro Ramos, entre outros.